Hospital do Homem ganha o nome de José Luiz Bittencourt, que foi vice-governador de Goiás

José Luiz era um homem culto e gentil. Foi aluno do poeta Manuel Bandeira e publicou artigos e ensaios de primeira linha

José Luiz Bittencourt era um intelectual de vasta cultura — um enciclopedista. Escrevia muito bem sobre história, política e literatura (é autor de ensaio até sobre hai cai). Aluno e amigo do poeta Manuel Bandeira, um dos próceres do Modernismo — o bardo, que se dizia menor, mas era um gigante, escreveu um poema sobre (e para) uma das filhas de José Luiz, salvo engano, Marina —, ele foi advogado, jornalista, escritor e político (era um autêntico polímata). Quando vice-governador, preocupado com a cultura e a história de Goiás, reeditou, em formato de livro, o jornal “Matutina Meio-Pontense” e a revista “Informação Goyana” (editada por Henrique Silva). O homem José Luiz era um gentleman, que falava baixo e compassado. Um verdadeiro diplomata.

Homenageando o homem múltiplo, de grande espírito público, o governador de Goiás, Marconi Perillo, deu o nome de José Luiz Bittencourt ao Hospital do Homem, cuja pedra fundamental foi lançada na semana passada.

Falecido em 2008, José Luiz Bittencourt foi vereador em Goiânia, deputado estadual, secretário de Estado da Educação e vice-governador de Goiás. Era pai do ex-deputado Luiz Bittencourt e dos brilhantes jornalistas José Luiz Bittencourt Filho (que foi editor do Jornal Opção), Paulo Bittencourt e João Bittencourt.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.