Há quem acredite e até aposte que, para 2018, o deputado federal Alexandre Baldy, do PTN, vai participar de um acordão com Daniel Vilela, do PMDB, e Ronaldo Caiado, do DEM.

Avalia-se, entre peemedebistas e democratas, que é preciso dividir a base governista. Se permanecer unida, sem grandes fissuras, será difícil derrotá-la.

Já entre aliados de Alexandre Baldy há quem avalie que, como a base marconista é muito vasta, não há espaço para os chamados cristãos-novos.