O advogado Francisco Bento, dono de uma agência de turismo em Goiânia, revela que os goianos reduziram a quase nada as viagens para o exterior (exceto para negócios). A crise econômica e o dólar e o euro supervalorizados impedem as viagens.

“Os goianos trocaram as viagens para a Europa e para os Estados Unidos por viagens para a Argentina e Chile. Viajar para os Estados Unidos ficou mais difícil. Com o dólar valorizado em relação ao real, acredita-se que os brasileiros querem viajar como turistas, mas acabarão por ser instalar no país, com o objetivo de fazer um pé de meia”, afirma Francisco Bento. O resultado é que está difícil obter visto para a terra de Donald Trump.