Frente com André Pio e Paulo Daiam deve enfrentar João do Léo em Pirenópolis

O MDB e o PSDB devem compor uma frente política para enfrentar o prefeito e o candidato bancado por Nivaldo Melo

André Pio: filiado ao PSDB, mas cobiçado pelo MDB | Foto: Euler de França Belém/Jornal Opção

Só há dois políticos hors-concours em Pirenópolis — o ex-prefeito Nivaldo Melo, do PP, e o prefeito João do Léo, do DEM.

Nivaldo Melo (PP) é hors-concours em termos de popularidade. Se puder ser candidato, a possibilidade de ser eleito é considerada muito alta — até por seus adversários. O problema é que enfrenta problemas judiciais — está inelegível — tidos como insanáveis.

Paulo Daiam: pré-candidato a prefeito de Pirenópolis | Foto: Facebook

João do Léo, eleito com a tese de que faria uma gestão moderna e realizadora, se tornou um dos prefeitos com mais desgastes da história do município. A polícia chegou a prender auxiliares do gestor municipal — acusados de corrupção. Trata-se de hors-concours em termos negativos. Mesmo com o controle da máquina pública, que sempre tem peso em eleições, João do Léo terá dificuldade para derrotar um candidato minimamente consistente.

Nivaldo Melo: se não for candidato, o ex-prefeito se torna o eleitor número 1 | Foto: Divulgação

A pergunta de 1 milhão de dólares é: Nivaldo Melo vai apoiar quem para prefeito, se não for candidato? Não se sabe, mas especula-se que poderá apoiar um vereador. Os vereadores Ana Abadia, a Lola, e Walter Jayme Junior, ambos do PP, são os nomes com mais chances de obter o apoio do “eleitor número 1” de Pirenópolis — Nivaldo Melo. Quem conquistar seu apoio entra, de cara, no jogo — entre os favoritos.

Mas pode ser que os eleitores queriam votar em Nivaldo Melo, e não em um preposto.

Se o grupo de Nivaldo Melo está indefinido, a outra parte da oposição se articula para lançar um candidato.

João do Léo (com Marconi Perillo, ex-governador de Goiás): o prefeito controla a máquina, mas seu desgaste pode ser incontornável | Foto: Prefeitura de Pirenópolis

Cobiçado pelo MDB de Daniel Vilela, o vereador André Pio é o principal nome do PSDB na cidade. Simboliza renovação — até por ser jovem e atuante. Ele pretende disputar a prefeitura e pode se aliar a Paulo Daiam (PTB), que ficou em terceiro lugar para prefeito em 2016. A tendência é que um deles seja candidato a prefeito e o outro seja o vice. Não está decidido quem será o cabeça de chapa, e sim que os dois caminharão juntos. É provável que Paulo Daiam troque o PTB pelo MDB. Os dois devem decidir em março quais serão seus caminhos na chapa majoritária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.