Formação de chapa para deputado federal pode empurrar o PSD para Mendanha

Sem Lissauer Vieira, que desistiu da disputa, o PSD ficou fragilizado, com único pré-candidato consistente — o deputado federal Francisco Júnior

Não há a menor dúvida de que o PSD quer formar uma aliança com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do partido Democratas.

Gustavo Mendanha, Chico Abreu e Vilmar Rocha: a hora da realpolitik? | Foto: Divulgação

Mas há uma pedra no caminho. Se não conseguir formar uma chapa para deputado federal na base de Ronaldo Caiado, o partido tende a compor com o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha. Não é uma questão de “amor”, e sim de sobrevivência política.

Mendanha seria candidato a governador pelo PSD e indicaria de dois a três candidatos a deputado federal consistentes — como Professor Alcides Ribeiro — para a chapa coordenada por Vilmar Rocha.

Sem Lissauer Vieira, que desistiu da disputa, o PSD ficou fragilizado, com único pré-candidato consistente — o deputado federal Francisco Júnior.

Sobre Henrique Meirelles, o pré-candidato a senador do PSD, há duas versões. Uma sustenta que vai disputar, que só está preocupado com a questão dos gastos de campanha (porque é superprecavido). A outra postula que “jogou a toalha”. Com Meirelles, o PSD fica mais forte, e tende a continuar na base de Ronaldo Caiado. Sem Meirelles, o PSD fica mais fraco…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.