A médica Fabianne Leão (pP), vice e pré-candidata a prefeita de Inhumas, diz que vai “fazer no município igual ao que o governador Ronaldo Caiado fez no Estado”. Quando assumiu o governo de Goiás, em 2019, eram centenas as obras inacabadas, ou apenas prometidas, mas já inauguradas, da qual a população não usufruía por simplesmente não estarem prontas. A vice-prefeita se lembra de dois grandes hospitais, o de Uruaçu e o de Águas Lindas, “tantas vezes anunciados e adiados, mas nunca em funcionamento, até chegar o Caiado e tirá-los do papel”.

É o que planeja fazer a Dra. Fabianne, como é conhecida em razão dos milhares de atendimento em duas décadas na rede pública de saúde de Inhumas. Na sua concepção entram também “as boas ideias que não passam disso, grandes insights que não se coloca em prática”. A médica cita, além de construções, a conformidade com as leis, conhecida pelo termo em inglês Compliance, que “Caiado implantou em todos os órgãos do Estado e que precisa chegar de fato à rotina das prefeituras”. Em bom português, Compliance é o olho aberto nas contas, nos gastos, nas licitações, na entrada de dinheiro, em não roubar, não deixar roubar e punir quem porventura roube. Como parte do Compliance, uma sigla também gringa, ESG, para o respeito ao meio ambiente, políticas públicas sociais e a governança.

No caso das obras, Fabianne lembra um projeto apresentado na Câmara Municipal para fazer em Inhumas como Iris Rezende fez em Goiânia em avenidas como Anhanguera, T-63 e Goiás. “Não é coincidência que nossa [de Inhumas] Rua Goiás precisa ser ligada a alguns dos bairros mais populosos da cidade, dando fluidez ao trânsito, melhorando a mobilidade, desafogando a [Avenida] Wilson Quirino, que vira Radial Norte”. Ou seja, o tumulto da Capital se repete em cidades de porte médio. Setores como José Antônio Ferreira, Amélio Alves, Nosso Teto, Saleiro. Segundo a médica, uma equipe de engenheiros está estudando duas possibilidades para a Goiás de Inhumas, de acordo com o que conseguir de recursos em Brasília e Goiânia para executar a benfeitoria. Assim, pretende realizar ciclovia e pista de caminhada ligando as áreas verdes e os lagos, como os imaginados por antecessores e o que ela projeta para as proximidades do Polo Têxtil de Inhumas, além dos demais equipamentos públicos dependentes de recursos governamentais.

Outra iniciativa que Fabianne apresentou há quatro anos, quando foi candidata a vice, é a implantação de usina fotovoltaica, a energia solar tão famosa atualmente. “Vou tirar esse compromisso do papel, montar a usina e isentar a conta de luz das famílias carentes”, diz a médica. “Tem gente que gasta 20% do salário com o talão de energia”. A equipe de Fabianne está pesquisando local, distante da zona urbana, para sediar som automotivo e shows. Segundo ela, Inhumas é “a Capital do Empreendedorismo”, nos moldes de Ibitinga, a cidade paulista produtora de enxovais, inclusive como anfitriã permanente da Expo Têxtil de Goiás a partir de 2025.

Ronaldo Caiado e Gracinha Caiado: apostando no crescimento da economia e no desenvolvimento de Goiás | Foto: Divulgação

Fabianne ressalta que o aumento nas arrecadações federais e as mudanças aprovadas no Congresso Nacional para as emendas ao Orçamento da União facilitaram o envio de emendas parlamentares aos municípios. “O nosso presidente [do diretório estadual do Progressistas, Alexandre] Baldy, é o nosso guia na Praça dos Três Poderes”, identifica a pré-candidata. O ex-ministro é o atual presidente da Agência Goiana de Habitação (Agehab). A novidade de Fabianne para a área de Baldy são conjuntos de residências populares com bem-estar digno de Alphaville e Aldeia do Vale, como academia: “Vou tirar do papel também as moradias que o governador Caiado já liberou. Nossa contrapartida é fazer pelas pessoas simples iniciativas bem baratas, mas que as famílias mais humildes não têm, como portaria”. Fabianne ressalta que, em vez de muros nas casas, vai cercar o local inteiro, no modelo dos condomínios fechados. “Lá dentro [do condomínio], instalaremos parquinhos para crianças, praças PETs, quadras de areia e coworking, um imóvel com escritórios compartilhados para os profissionais que ali vão morar.”