Especialistas em eleição dizem que Kajuru tem mais chance de se eleger deputado do que senador

Eles afirmam que outsiders não se dão muito bem em eleições majoritárias

Divulgação

O vereador Jorge Kajuru quer ser candidato a senador — e é um direito dele. Trata-se mesmo de um candidato forte, que desequilibra o jogo. O Jornal Opção ouviu especialistas em disputas eleitorais — políticos, marqueteiros e pesquisadores — e pediu que avaliassem as chances do postulante do PRP.

A maioria admite que é um candidato que está no jogo e, sobretudo, movimenta-o. Mas também afirma que é muito difícil um candidato outsider ganhar uma eleição para senador. “José Antônio Reguffe ganhou para senador em Brasília, mas o eleitorado de lá é como o do Rio de Janeiro: capaz de ações imprevistas”, afirma um pesquisador.

Em Goiás, para ganhar para senador, acreditam os especialistas, o candidato precisa contar com estruturas tradicionais em todo o Estado — o que não é o caso de Kajuru.

Para deputado federal, uma eleição proporcional, é mais fácil um outsider — como o delegado Waldir Soares, do PR — ser eleito. “Kajuru, se disputar mandato de deputado federal, possivelmente será eleito, e com uma votação extraordinária, inclusive ‘carregando’ outros políticos nas costas. Para senador, que exigirá uma votação gigante, porque se trata de uma eleição majoritária, é preciso ter militância nas cidades”, afirma um marqueteiro.

“Não há em Goiás, por enquanto, um eleitorado massivo que vota de modo surpreendente e tudo indica que Kajuru não conta com este tipo de eleitorado para bancá-lo”, afirma um ex-deputado federal, expert em eleições.

Todos os entrevistados sugerem que, apesar das ponderações, há a possibilidade de que Kajuru possa surpreender e ser eleito. “O fato de que está se apresentando como não-político, não subordinado a nenhuma força política, nem mesmo ao senador Ronaldo Caiado, é positivo. Resta saber se sua mensagem chegará a todos os eleitores há tempo”, afirma um pesquisador. “É preciso ressaltar que Kajuru é um grande comunicador e isto pode ser decisivo na disputa de 2018”, frisa um ex-deputado federal.

Deixe um comentário