Ernesto Roller diz que nunca declarou apoio a Ronaldo Caiado para governador

O prefeito de Formosa sugere que as oposições se unam, elaborem um projeto de governo e escolham um candidato a governador, que pode ser Daniel Vilela ou Caiado

Montagem

O prefeito de Formosa, Ernesto Roller, do PMDB, manteve uma longa conversa com o Jornal Opção na quarta-feira, 2014, com o objetivo de esclarecer a “informação” — as aspas são dele — de que teria declarado apoio ao senador Ronaldo Caiado para governador de Goiás. “Ocorre que digo uma coisa e interpretam como querem, às vezes distorcendo minhas palavras”, frisa.

“O que eu disso, e repito agora, é que a oposição tem dois bons candidatos a governador — o deputado federal Daniel Vilela, do PMDB, e Ronaldo Caiado, do DEM — e que eles e os líderes dos partidos que compõem as oposições devem dialogar e, no momento apropriado, definir um único candidato. Dada a estrutura, governos são sempre fortes, tanto que o grupo que se une em torno do governador Marconi Perillo não perde eleições há 20 anos. Para vencê-lo, nós precisamos nos unir. É o que tenho dito, inclusive para Daniel Vilela”, sublinha Ernesto Roller.

O prefeito sugere que os partidos das oposições organizem encontros e esbocem projetos de desenvolvimento para o Estado. “Em seguida, com uma coordenação geral, agruparemos as ideias gerais com o objetivo de formatar um projeto alternativo ao do tucanato. O candidato com um projeto de desenvolvimento comum é mais importante que um candidato meramente para disputar eleição.”
Ernesto Roller frisa que, “como não há nem candidato definido”, como falar que está apoiando “a” ou “b”? “O candidato das oposições pode ser Daniel Vilela ou Ronaldo Caiado. O que importa é que represente as oposições. Por isso, digo: vou apoiar o candidato que for resultado da aliança das oposições.”

O líder político do Entorno de Brasília conta que disputou três eleições pelo PMDB e que não pretende desligar-se do partido. “Estou satisfeito. Daniel Vilela não me comunicou que está retirando o PMDB de Formosa do meu comando. Não estou levando a sério o que li nos jornais. Se fosse verdade, não seria democrático e seria incompatível com ambiente arejado do PMDB. Minha relação política com o presidente do partido é franca, direta e honesta.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.