Durante enterro, cadáver “acena” para os parentes e vídeo viraliza. Confira

O “fato” aconteceu quando um padre católico falava “quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá”

Juscelino Goulart de Oliveira

Especial para o Jornal Opção

Quem vibraria mais: Edgar Allan Poe, Kafka, Ionesco ou André Breton? Não dá para saber, claro. Mas a cena, apesar de trágica, chega a ser hilária. Um homem morreu em Manado (Sulawesi do Norte, na Indonésia) e, com familiares próximos ao caixão, o padre católico estava lendo uma passagem do Livro do Apocalipse (Livro de João), da Bíblia, quando, de repente, o cadáver “acenou”. O religioso dizia exatamente: “Deus disse no Livro de João: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá”. O morto “manifestou-se, ‘vivo’”.

Alguém estava filmando o enterro e dá ver o cadáver acenando. Discretamente, quem sabe. A cena viralizou. Fernando Moreira, do jornal “Extra”, afirma que “não se sabe se os parentes perceberam o movimento no interior do caixão durante o enterro, que seguiu em frente. Não há informação sobre a causa da morte”.

As redes sociais, mapa da mina das teorias conspiratórias, deliraram. O homem estaria vivo e pedindo socorro: “Quero sair daqui!”? Muito mal, nas últimas-ultimíssimas, o homem estaria se despedindo dos parentes e amigos, sugerindo: “Já estou indo!”? Haveria um “sopro de Deus” no homem e, por isso, a manifestação? Alguns chegaram a sugerir que a mão seria um rato, o que é improvável, pois o caixão estava fechado? Fechado? Pois é: deu para gravar a cena porque a parte de cima do caixão era de vidro.

Repórter esperto, Fernando Moreira decidiu verificar mais a, digamos, fundo: “Apesar das teoria macabras, o movimento deve ter sido provocado pelo ‘rigor mortis’ (mudança bioquímica nos músculos, causando um endurecimento dos músculos do cadáver e impossibilidade de mexê-los ou manipulá-los) ou pelas mudanças nos ligamentos durante a decomposição, contou o ‘Daily Mail’”. E acrescentou: “Um estudo da Central Queensland University (Austrália), publicado em setembro do ano passado na ‘Medical News Today’, afirma que cadáveres podem se mexer e até mudar de posição durante o processo de decomposição. O estudo foi considerado de grande impacto para a medicina legal”.

Pensando bem, a história lembra mais as histórias de Lovecraft e Poe.

Confira o vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.