Dois deputados teriam “organizado” atos contra a democracia e são investigados pelo Supremo

Junio Amaral e Daniel Silveira são filiados ao PSL e mantêm ligação com o presidente Jair Bolsonaro. O segundo pode ser preso, diz a revista Veja

Daniel Silveira (careca), deputado pelo PSL do Rio de Janeiro

Os deputados Junio Amaral, do PSL de Minas Gerais, e Daniel Silveira, do PSL do Rio de Janeiro, são apontados, pela revista “Veja”, como dois dos responsáveis pelos atos contra a democracia. A revista frisa que estão citados no inquérito do Supremo Tribunal Federal.

Segundo a revista, “Há ‘indícios veementes de autoria contra ele’, diz uma fonte da PGR”. Júnio Amaral é “interlocutor direto” do presidente Jair Bolsonaro, afirma a publicação da Editora Abril.

Deputado Junio Amaral com o presidente Jair Bolsonaro | Foto: Reprodução

Noutra nota, sob o título de “Rumo ao xilindró”, sobre Daniel Silveira, a “Veja” é peremptória, baseada em informação de uma fonte: “‘O caso dele é de prisão preventiva’, diz um investigador, observando que Silveira continua agindo nas redes”.

Daniel Silveira é o parlamentar “que quebrou a placa de Marielle Franco”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.