Disputa em Pires do Rio deve ser entre os gestores Cida Tomazini e Hugo do Laticínio

Em 2016, os eleitores deram um recado às elites locais e escolheram uma pessoa que não era especialista em gestão, Cleide do Gulas, hoje no Democratas

Cleide Veloso, prefeita de Pires do Rio: candidata pelo DEM | Foto: reprodução/Prefeitura

Os eleitores às vezes são sábios. Em 2016, os eleitores de Pires Rio, município do Sudeste de Goiás, decidiram dar um recado duro às elites locais, sobretudo à família da ex-prefeita Cida Tomazini. Na opinião dos eleitores, os Tomazini, empreendedores competentes — geram milhares de empregos diretos e indiretos —, estariam se comportando como “donos” da cidade.

Com a fabulosa “arma” de que dispõem — o voto —, os eleitores decidiram derrotar Cida Tomazini. Derrotaram-na. E elegeram para prefeita Cleide do Gulas (Cleide Aparecida Veloso da Costa), do PSDB— agora, filiada ao Democratas —, que era dona de uma pastelaria.

Hugo do Laticínio, candidato a prefeito pelo Avante | Foto: Divulgação

Cleide Aparecida não tinha experiência, mas os eleitores queriam experimentar.

Agora, com três anos e nove meses de gestão, Cleide Aparecida, ainda que seja vista como bem intencionada, não é bem avaliada como administradora. Democraticamente, o que os eleitores provavelmente vão fazer? Trocá-la. Há quem aposte que a prefeita é vítima da “máquina detratora” dos adversários. Pode até ser. Mas os eleitores têm bom senso e sabem avaliar para além da máquina de difamação que se tornaram as redes sociais.

Ante o suposto fracasso da não-gestora, os eleitores voltaram a clamar pela volta de um administrador, ou de uma administradora. De cara, Cida Tomazini, agora no Podemos, se tornou a política a se colocar no poder. Porque ela, assim como sua família, é vista como gestora eficiente. Por isso, é apontada como favorita.

Mas os eleitores podem experimentar mais uma vez se surgir alguém com tino administrativo? Não se sabe. Porque o futuro nem a Deus pertence. Mas surgiu um novo nome na política de Pires do Rio.

Cida Tomazini: candidata pelo Podemos | Foto: Reprodução

Trata-se de Hugo do Laticínio (Hugo Sérgio Batista), do Avante. Não é o favorito, mas está crescendo. Por qual motivo? Porque é visto como gestor.

Hugo do Laticínio era moto-boy e hoje teria um patrimônio avaliado em 3 milhões de reais. Claro, nada se comparado aos multimilionários da família Tomazini. Mas, para uma pessoa que começou de baixo, sem família rica para bancá-lo, ter construído um laticínio, edificar casas, entre outras atividades, é sinal de competência e força de vontade.

Nos próximos 49 dias, pouco tempo, Hugo do Laticínio terá de convencer os eleitores de que é capaz de administrar uma prefeitura — que, vale sublinhar, não é igual a uma empresa privada. Não é impossível, mas não será fácil. No momento, com os nomes tendo sido definidos há poucos dias, Cida Tomazini é favoritíssima. Mas os eleitores são sempre surpreendentes, como o foram em 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.