Disputa de vaga de desembargador pode ferir a reputação da OAB-Goiás

Prazo final para a apresentação de recursos foi na tarde da sexta-feira e a questão foi fechada sem que eles tivessem sequer sido apreciados

Lúcio Flávio, presidente da OAB-Goiás, até por ser um legalista, precisa observar com rigor o que está acontecendo na instituição no que se refere à vaga do quinto constitucional 

Membros da diretoria da OAB-GO e os conselheiros que apoiam a gestão de Lúcio Flávio de Paiva se reuniram no sábado, 21, informalmente, para tratar do cenário para a eleição da Ordem, que será realizada no final do ano, mas já vem causando grande movimentação nos bastidores. Eles também falaram sobre a eleição para a escolha dos representantes do Quinto Constitucional (a votação da lista sêxtupla será no dia 18 de maio). A vaga aberta pela aposentadoria do desembargador Geraldo Gonçalves será ocupada por representante da advocacia.

Na reunião, os diretores decidiram a forma como vão julgar os recursos apresentados pelos candidatos à lista sêxtupla, já que, dos 23 inscritos como candidatos à vaga de desembargador do TJ, apenas sete tiveram as candidaturas deferidas pelo Conselho da OAB, mas todos os 16 indeferidos apresentaram recurso. Detalhe: o prazo final para a apresentação de recursos foi na tarde da sexta-feira, 20, e a questão foi fechada sem que eles tivessem sequer sido apreciados. Tem algo no ar, que pode ferir a respeitada reputação da Ordem.

Deixe um comentário