Dilma pede apoio pra aprovar CPMF. Por coerência, Marconi diz que não pode apoiar o imposto do cheque

No lugar de ficar irritada, a presidente apreciou a franqueza do tucano-chefe

Na quinta-feira, 17, em Brasília, no encontro com o governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB, a presidente Dilma Rousseff, do PT, pediu ao tucano-chefe que apoiasse a aprovação do imposto do cheque, a remoçada CPMF. Entretanto, apesar de estimar a petista-chefe, com quem mantém um relacionamento republicano e de respeito, ele disse que, por uma questão de coerência, não poderia mudar de posição.

Marconi Perillo, que sempre foi contra a CPMF, ajudou a barrá-la no Senado, no governo de Lula da Silva.

Curiosamente, no lugar de ficar irritada, Dilma Rousseff apreciou a franqueza de Marconi Perillo.

Deixe um comentário