Deputado não protocola relatório e Distritão não deve ser aprovado pra eleição de 2022

Um parlamentar do Podemos afirma que o deputado federal Luís Tibé “rasgou” o relatório elaborado por Renata Abreu

A esperança de vários deputados federais pode ter naufragado. A deputada federal Renata Abreu — presidente nacional do Podemos — elaborou relatório que previa a adoção do Distritão e contava com a parceria do deputado federal Luís Tibé (de Minas Gerais), presidente nacional do partido Avante.

Ocorre que, na versão de um deputado do Podemos, Luís Tibé era o encarregado de protocolar o relatório, na quarta-feira , 14. Porém, no lugar de protocolá-lo, optou por rasgá-lo.

Como o recesso parlamentar começa na quinta-feira, 15, não haverá tempo para protocolar o relatório e, sobretudo, de aprová-lo a tempo de que sirva para a disputa eleitoral de 2022 (afinal, a eleição vai ser disputada daqui a um anos e dois meses).

Luís Tibé e Renata Abreu: deputados federais e líderes do Avante e do Podemos, respectivamente | Foto: Reprodução

Portanto, o Distritão ficou para as calendas e não terá serventia para a próxima disputa eleitoral.

A Reforma Política, com a adoção do Distritão e, no futuro, do Distrital Misto, “já era”, afirma um deputado federal. “O Distritão foi para o ralo”, frisa.

Portanto, vale, para as eleições de 2022, as regras das eleições de 2020. As coligações continuam proibidas e não serão eleitos apenas os mais votados — considerando que os votos de todos os candidatos de cada partido poderão ser somados. Em 2018, com o Distritão, o deputado federal Major Vitor Hugo não teria sido eleito. Com as regras atuais, as mesmas de 2018, teria sido eleito, como foi, pois se “aproveitou” da votação gigantesca do deputado federal Delegado Waldir Soares, do PSL.

Sem o Distritão, a situação de vários deputados federais goianos fica muito difícil. A tendência é que os partidos com mais estrutura, portanto com mais candidatos fortes, elejam maiores bancadas. Partidos como DEM, MDB, PSD e, talvez, o PP e o Republicanos. Os demais, inclusive o PSDB, terão dificuldades de eleger deputados. O resultado é que alguns parlamentares tendem a deixar seus partidos — por uma questão de realismo e sobrevivência.

Em Goiás, o representante do Podemos na Câmara dos Deputados é José Nelto. Ele é um dos defensores do Distritão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.