“Se Iris Rezende não for candidato a prefeito, mas não permite que outro nome seja lançado, para que possa fortalecer seu projeto, só resta pensar que o decano da política de Goiás quer destruir o PMDB em Goiânia”, afirma um deputado.

O parlamentar sublinha que o PMDB não tem mais tempo para construir uma nova candidatura, já que os candidatos de outros partidos já estão postos.

“O delegado Waldir Soares supera os 20% e Vanderlan Cardoso aparece com cerca de 11%. Um candidato ‘novo’ do PMDB possivelmente, se lançado agora, teria no máximo 5% das intenções de voto. Portanto, se não for candidato, depois de ter impedido o ‘nascimento’ e ‘fortalecimento’ de outro postulante, isto quer dizer que se preocupa mais com ele do que com o partido. Iris pode ter vários defeitos, mas sempre pensou no partido. Terá mudado? Espera-se que não.”