Humberto Teófilo grava vídeo acusando governo anterior de fazer negócio com filho de Cachoeira em troca de prédio da nova Delegacia Regional de Anápolis

No governo anterior, de Marconi Perillo, a Secretaria de Segurança Pública, via Polícia Civil, fez acordo com a Codego para trocar uma área no Daia por nova sede para a 3ª Delegacia Regional da Polícia Civil, em Anápolis. O negócio inteiro e obra foram feitos no mandato passado e, nesta terça-feira, 2, o deputado Humberto Teófilo divulgou vídeo com fake news, dizendo que a parceria entre o governo e a empresa seria do atual mandato.

O negócio é simples: há 30 anos a Polícia Civil não contava com novo prédio em Anápolis e já em 2012 se valeu de uma área no Distrito Agroindustrial, o Daia, que é da Codego. Em 2017, surgiu a ideia entre uma empresa e integrantes do governo passado de permutar uma sede para a 3ª DRP com terrenos da Codego. E assim fizeram. Agora, o contrato foi desfeito a bem do serviço público.

Humberto Teófilo: o deputado precisa ter em Pedro Caires um exemplo, não um alvo. | Foto: Y. Maeda

Quando o atual governo assumiu, já estava tudo pronto, tanto o contrato quanto o prédio. O delegado regional Pedro Caires, bastante elogiado nas forças de segurança por sua eficiência e honestidade, precisava mudar a DRP para uma edificação que já estava pronta. O delegado Caires entrou em contato com a Codego para efetuar a mudança. E foi feita a inauguração neste mandato.

Desde 2017, as conversas foram com a ETS, uma empresa Eireli anunciada por seu representante Israel Freitas como integrante do grupo Marítimo, de Belo Horizonte (MG). Não houve qualquer tratativa entre a Codego e Matheus Aprígio, filho de Carlos Cachoeira, pois sempre se falou com o delegado Pedro Caires (pela Polícia Civil) e Israel Freitas (pela ETS).

A crítica de Humberto Teófilo é imprecisa no tempo (o contrato é de 2017 e o prédio, de 2018) e injusta nos personagens: integrantes do atual governo, inclusive o delegado Pedro Caires, herdaram a construção e os contratos, só lhe restavam cumpri-los.

Foi uma surpresa para a Codego a presença do sócio ressaltado por Teófilo e mais ainda na Polícia Civil a crítica do deputado delegado ao colega Pedro Caires. O que o regional de Anápolis e seus antecessores fizeram foi apenas dotar a instituição de uma sede. O mesmo vale para a Codego, que fez parceria em busca de mais segurança para quase duas dezenas de municípios. Teófilo precisa ter em Pedro Caires um exemplo, não um alvo.