DEM aposta que pode conquistar passe político da senadora Lúcia Vânia

A presidente do PSB não quer compor com Demóstenes Torres, mas prefere disputar a reeleição com o apoio da base governista

Caiado e Lúcia Vânia: o senador a quer na sua chapa mas ela planeja ficar na base governista | Fotos: Moreira Mariz/ Agência Senado

O pré-candidato do DEM a governador de Goiás, senador Ronaldo Caiado, desistiu, em definitivo, do apoio do deputado federal Daniel Vilela. Ele teria recebido informações objetivas de que o emedebista vai até o fim com o seu projeto de disputar o governo.

Ante a falta do apoio oficial do MDB, os líderes dos grupos que apoiam a postulação de Ronaldo Caiado, sem nomes competitivos para a montagem da chapa majoritária, decidiram retomar conversações com integrantes da base governista.

Com o apoio de parte da Assembleia de Deus — leia-se pastor Oídes José do Carmo e seu irmão, Luiz Carlos do Carmo, suplente do senador do Democratas —, Ronaldo Caiado tenta conquistar o passe político do deputado federal, João Campos, para ser o seu vice. Não será fácil. Porque o PRB resiste a apoiá-lo.

As conversas com Flávia Morais, também para vice, foram retomadas. Mas o presidente do PDT, George Morais, teria dito aos democratas que a possibilidade permanecer na base governistas é a mais provável.

A principal aposta do DEM é a senadora Lúcia Vânia (que, aliás, não tem simpatia pelo senador Wilder Morais, do DEM). A cúpula do partido acredita que ela será descartada e que o governismo vai apoiar Demóstenes Torres para senador.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.