Aviso aos argonautas: Fer­nando Navarrete deixou a Secre­taria da Fazenda, mas não para assumir cargo de desembargador no Tribunal de Justiça. Afinal, como ele disse, não tem cinco anos ininterruptos de advocacia, dados os cargos que ocupou na estrutura do Estado. Decente, o advogado Fernando Navarrete não faz barganhas e é um homem público de ação irretocável.

Aos repórteres que não se informam — ou são apóstolos da má-fé —, uma informação: a decisão de pagar os servidores da Justiça (a conversão da remuneração de cruzeiro real para unidade real de valores) deriva de uma decisão judicial, não de um favor feito pelo governo ou por Fernando Navarrete.