Daniel Vilela faz versão primo pobre do Goiás na Frente

Divulgação/Facebook

Pré-candidato ao governo pelo PMDB, o deputado federal Daniel Vilela tem se movimentado durante o período de recesso. Percorre os municípios e divulga nas redes sociais. É uma espécie de Goiás na Frente particular do deputado, numa versão primo paupérrimo do programa do governo estadual. Nos últimos dias, por exemplo, Daniel divulgou almoço com a prefeita de Santa Fé, Lia, do PSB. Disse que a prefeita deve começar no município um muito interessante projeto sobre descarte de materiais recicláveis, que prevê um sistema de bonificações. “Logo que ela concluir os detalhes, vamos apresentar para vocês aqui. Boas práticas de gestão têm que ser mostradas e valorizadas, para que se espalhem.”

O peemedebista informa sua participação na agenda de inaugurações em Novo Brasil, quando houve momento de nostalgia durante entrega da reforma do Estádio Milton Pacheco de Macedo. Lembrou que, ainda garoto, esteve na inauguração da iluminação do estádio, acompanhando o então governador Maguito, e participou de uma partida de futebol. Elogia o trabalho do prefeito correligionário Sebastião Sabino, em parceria com o deputado federal Pedro Chaves (PMDB), entregando um caminhão, uma nova Unidade Básica de Saúde e equipamentos para o posto de saúde. Daniel reporta visita a dois conterrâneos, na quarta-feira, 26: o prefeito tucano de Aruanã, Hermano de Carvalho, e seu pai, Pedro Russo. “Conversamos muito sobre nossa querida Jataí e também sobre gestão pública e a política goiana.”

O deputado conta que ele e o deputado estadual Waguinho foram recebidos pelo prefeito peemedebista de Montes Claros, Cícero da Bebedouro, para discutir as demandas da cidade. “Visitamos o Hospital Municipal, para o qual vamos buscar recursos em Brasília e viabilizar sua reforma. Já destinamos investimentos para calçamento da cidade, construção do porto e aquisição de maquinário. Uma das maiores reclamações dos moradores é com o avanço do crack e os crimes que chegam como consequência. Sem um contingente policial adequado e uma política estadual de segurança efetiva, a criminalidade cresce em Montes Claros sem encontrar resistência.”

Na condição de opositor, Daniel Vilela tem muito pouco a levar aos prefeitos, uma ou outra coisa fruto de emenda parlamentar. E aí qualquer encontro, almoço, visita de cortesia, ida a exposição agropecuária, tem de “virar” fato político nas redes sociais. Ou seja, o pré-candidato está se movimentando no espaço possível para se colocar como a melhor alternativa de seu partido para 2018. A batalha é difícil, porque além do próprio governo, ele tem como adversário o senador Ronaldo Caiado, do DEM, também pré-candidato ao governo que igualmente busca ocupar espaço no PMDB.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.