Os empresário Carlos Luciano, da Novo Mundo, e André Rocha, do setor do álcool, devem ser convocados

Um deputado estadual afirma que o alvo principal das CPIs dos Incentivos Fiscais, articulada pelo neocaiadista Humberto Aidar, são o polo farmacoquímico de Anápolis, duas montadoras automobilísticas (Caoa-Hyundai e Mitsubishi), usinas de álcool (menciona-se sempre o nome de André Rocha), a Super Frango (de Itaberaí) e a rede de lojas Novo Mundo (comandada por Carlos Luciano, que alega que não recebeu os benefícios fiscais denunciados pelo Ministério Público).

O parlamentar alega que as empresas descumpriram contratos, sobretudo porque o governo do Estado não fez a fiscalização devida.