Kátia Abreu: nomeações causam polêmica | Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / ABr
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / ABr

A ministra da Agricultura, a senadora licenciada Kátia Abreu, é apontada como a política que perdeu o bonde da história. Por apego ao poder ou falta de visão histórica, não soube aproveitar as chances que teve de deixar o governo da pós-presidente Dilma Rousseff. Há quem avalie que se tornou, ao longo do tempo, uma figura decorativa no governo petista, que não a leva a sério. Paradoxalmente, a peemedebista é uma das poucas pessoas da área ruralista que ainda leva o governo do PT a sério.

Como não tem condenado as invasões de terra com a devida ênfase, por ter se agarrado ao governo de Dilma Rousseff com unhas e dentes, Kátia Abreu está desagradando praticamente todos os setores da sociedade — dos produtores rurais aos empresários do agronegócio e, claro, ao PMDB de Michel Temer.

A resistência ao nome de Kátia Abreu é tão grande que líderes dos produtores rurais dizem que, depois do impeachment de Dilma Rousseff, na Câmara dos Deputados e no Senado, a Confederação Nacional da Agricultura, ao menos 98% de seus integrantes, vai votar o “impeachment” da presidente licenciada. Ninguém quer sua volta ao comando da CNA. Os produtores não se sentem representados pela ministra.