Ciro Nogueira decide na 4ª-feira se o PP em Goiás fica com Wilder ou com deputados

Tendência é que deputados levem a melhor sobre senador. Mas o presidente nacional não tem restrição a Daniel Vilela

Ciro Nogueira e Wilder Morais, senadores do PP: o primeiro deve seguir a posição dos deputados federais, mas não tem restrição a aliança com Daniel Vilela, do MDB

O presidente nacional do PP, Ciro Nogueira, decide na quarta-feira, 21, às 10 horas, no anexo 2 do Senado (na sede do partido), duas coisas. Primeira: se o PP fica na base do governador Marconi Perillo (PSDB) e apoia José Eliton (PSDB) para governador de Goiás. Segunda: se o partido fica sob o controle do senador Wilder Morais ou dos deputados Roberto Balestra, Alexandre Baldy e Sandes Júnior.

Roberto Balestra, Alexandre Baldy e Sandes Júnior: os três deputados vão ficar na base do governador Marconi Perillo e devem bancar José Eliton para governador de Goiás

Se ficar com Wilder Morais, o PP apoiará, provavelmente, Daniel Vilela, do MDB, para governador de Goiás. Se ficar com os três deputados, o partido ficará com José Eliton. Ciro Nogueira quer manter Wilder Morais, por quem tem apreço pessoal, na base governista, o que só será possível se o empresário conseguir uma vaga para disputar a reeleição — o que não será fácil, porque a base governista praticamente já definiu Marconi Perillo e Lúcia Vânia, do PSB, como candidatos a senador.

A tendência, portanto, é que o PP fique com os três deputados e apoie José Eliton para governador. A palavra a reter é tendência. Porque Ciro Nogueira, exceto pelo fato de que os deputados querem continuar na base de Marconi Perillo-José Eliton, não tem restrições políticas e pessoais a Daniel Vilela.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.