Chapa majoritária governista poderá ter Caiado, Roberto Naves na vice e João Campos para senador

Comenta-se também que Daniel Vilela pode, de maneira surpreendente, participar da chapa coordenada pelo governador Ronaldo Caiado

Há um consenso, tanto na situação, obviamente, quanto nas oposições (em off, é claro): se a eleição fosse disputada hoje, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, seria reeleito, e com mais facilidade do que em 2018, no primeiro turno. O líder do partido Democratas está bem avaliado e é visto como hors concours pelos políticos e eleitores. “Ele é um corredor queniano na São Silvestre da política de Goiás”, brinca, em off, um emedebista de proa. “Está 10 quilômetros na frente e seus rivais, mal começada a maratona, estão com a língua de fora”, acrescenta.

O emedebista, amigo do presidente do MDB, Daniel Vilela, ao qual apoia para governador, sugere que o partido deveria compor uma aliança com o governador Ronaldo Caiado, bancando seu vice ou o candidato a senador. “Em 2018, contra todas as evidências do favoritismo de Caiado, fui dos primeiros a apoiar a candidatura de Daniel para governador. Mas agora penso diferente: em nome do pragmatismo político, de atrair o futuro mais cedo para o nosso lado, avalio que devemos compor com o governador. A rigor, o nosso adversário histórico não é exatamente Caiado, e sim o PSDB de Marconi Perillo. O afastamento, em definido, de Marconi Perillo, com outra vitória de Caiado, abrirá mais espaço para Daniel Vilela na política de Goiás”, acrescenta o danielista. “A inteligência manda um recado: ‘emedebistas, sejam realistas e formatem uma chapa com o governador.” Ele frisa, desde já, que não fala em nome do presidente emedebista. Está apenas esboçando o que chama de uma “argumentação racional”.

O fato é que o PP saiu na frente por uma vaga na disputa pelo Senado. O ex-ministro Alexandre Baldy, presidente do PP e secretário da gestão do governador de São Paulo, João Doria, planeja disputar mandato de senador. Ele é ligado ao governador Ronaldo Caiado e ao prefeito de Anápolis, Roberto Naves, um dos mais importantes líderes do partido Progressistas em Goiás, com forte ligação com Ronaldo Caiado.

Mas pode ser que o projeto do PP para 2022 mude de configuração. No lugar de articular pelo Senado, seus líderes podem optar pela vaga de vice, com uma argumentação lógica. O vice de Ronaldo Caiado, se ele for reeleito e sair para disputar o Senado, em 2026, tende a assumir o governo e, daí, se tornará candidato natural à reeleição.

A vaga para senador, hoje nas mãos do PP, poderá ser direcionada para o Republicanos do deputado federal João Campos.

Presidente do Republicanos, João Campos é parlamentar respeitado, apontado como um articulador hábil — indicou Rogério Cruz, hoje prefeito, para vice de Maguito Vilela —, e tem imensa força política entre os evangélicos (é ligado à Assembleia de Deus, mas dirige um partido controlado pela Igreja Universal). A tendência, no momento, é que João Campos seja o postulante ao Senado na chapa de Ronaldo Caiado, que seria formatada assim: Ronaldo Caiado para governador, Roberto Naves para vice e João Campos para senador.

O senador Luiz Carlos do Carmo, aliado do governador, quer disputar a reeleição. Mas hoje, pelo menos hoje, tem menos cacife político do que João Campos.

Frise-se que o Podemos do deputado federal José Nelto e do prefeito de Catalão, Adib Elias, almeja uma vaga na chapa majoritária. E vai começar a pressionar pela vaga, inclusive por mais participação no governo do Estado. Adib Elias, sobretudo, é muito ligado ao governador Ronaldo Caiado. Além de aliados, são amigos.

Evidentemente, o que se expôs acima é uma análise preliminar do quadro. O jogo está começando, os jogadores estão em campo, se movimentando muito — ninguém está parado —, mas ainda não há nada definido. O que é certo é que PP e Republicanos estão fortes para a montagem da chapa majoritária coordenada pelo governador Ronaldo Caiado. A surpresa, claro, será uma possível — repita-se, possível (não há certeza) — presença de um emedebista na chapa majoritária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.