Célio Silveira, Tião Caroço e Diego Sorgatto devem deixar o PSDB. O primeiro caminha para o PSL

Os deputados estaduais Lêda Borges, Talles Barreto, Gustavo Sebba, Helio de Sousa são apontados como os últimos dos moicanas do tucanato goiano

O PSDB praticamente acabou em Goiás. Elegeu apenas um deputado federal, Célio Silveira, e seis estaduais — Diego Sorgatto, Lêda Borges, Tião Caroço, todos do Entorno de Brasília, Helio de Sousa, Gustavo Sebba e Talles Barreto.

Detalhe: dos seis quatro devem continuar filiados ao PSDB. Por enquanto. No Entorno de Brasília, Lêda Borges deve ser a última das moicanas.

Diego Sorgatto tem sido sondado pelo MDB dos prefeitos Adib Elias, de Catalão, e Ernesto Roller, de Formosa. É praticamente certo que não disputará a Prefeitura de Luziânia, em 2020, como integrante do tucanato.

Tião Caroço está com as malas prontas para voltar para o PP, seu partido anterior. Ele adora o PP e tem pouco a ver com o “baleado” PSDB. Helio de Sousa e Gustavo Sebba ficam no tucanato.

Célio Silveira, que tem recebido convites do DEM, do PP, do MDB, deve se filiar ao PSL do presidente Jair Bolsonaro e do deputado federal Delegado Waldir Soares. Assim que surgir uma oportunidade — uma janela —, o parlamentar deve cair fora do PSDB, que, junto com o PT, é chamado em Brasília de “finado”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.