Câmara Municipal pode deixar o ex-prefeito inelegível. O deputado estadual Zé Carapô pode apostar em candidato da terceira via

Leandro Vilela: cotado é para disputar a Prefeitura de Jataí em 2020 ou mandato de deputado federal em 2022 | Foto: Câmara dos Deputados

O ex-deputado federal Leandro Vilela aos poucos está voltando para a política, restabelecendo contatos e abrindo novas portas. Há quem aposte que será candidato a uma vaga na Câmara dos Deputados em 2022. Mas, dependendo da situação, pode mudar de projeto e disputar a Prefeitura de Jataí, no dia 15 de novembro deste ano.

O pré-candidato do MDB é o ex-prefeito Humberto Machado. Mas há uma pedra no seu caminho. O Tribunal de Contas dos Municípios enviou as contas — rejeitadas — do emedebista para a Câmara Municipal de Jataí julgar. Se julgar, optando por sua rejeição, o engenheiro não poderá disputar a eleição deste ano. Por isso ele batalha, com advogados, para que suas contas retornem ao TCM e não sejam julgadas agora pela Câmara. Seu objetivo é manter a pré-candidatura.

Zé Carapô: subestimado pelo grupo de Humberto Machado, o deputado estadual da Democracia Cristã tem influência em Jataí | Foto: Fernando Leite

Mas entre os aliados de Humberto Machado há os que já pregam que o ex-prefeito tem de começar a sugerir, publicamente, que Leandro Vilela é a alternativa já para o pleito de 2020.

Num momento complicado, em que precisa de apoio, Humberto Machado acaba de perder um aliado importante e aguerrido — o deputado estadual Zé Carapô (José Antônio Prado Nunes), da Democracia Cristã. Aliados do ex-prefeito sugerem que Carapô estava “exigindo demais” — como a vice para um aliado e até secretarias (seriam três). Há também os que frisam que Carapô pretende disputar mandato de deputado federal e gostaria de contar com o apoio de Humberto Machado — que já tem compromisso com Leandro Vilela ou com outro nome indicado pelo MDB estadual.

Humberto Machado, pré-candidato do MDB a prefeito de Jataí | Fernando Leite/Jornal Opção

Há quem aposte que Zé Carapô, influente na política local, vai bancar um candidato da terceira via — que pode ser o advogado Luciano Lima, do PSD. Está definido? Não. Mas há conversações.

O prefeito Vinicius Luz, do Progressistas, está cuidando mais da administração pública — e tem o que mostrar à população — do que da articulação política. Mas permanece como um nome forte da política local. Se brincarem, achando que já ganharam a eleição — como parece pensar Humberto Machado —, podem ser surpreendidos pelo jovem político.