Prefeito de Aparecida de Goiânia ainda nutre desejo de se candidatar ao governo do Estado, mas os espaços políticos estão se fechando para ele

Quase sem espaço para lançar-se candidato ao governo Estado, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, agora se vê numa disputa acirrada com o deputado major Vitor Hugo –  e a opinião generalizada é de que o ex-emedebista será o perdedor.

Como essa coluna já havia apontado, Jair Bolsonaro, filiado ao Partido Liberal (PL), significaria que Medanha deveria buscar outra sigla para seu projeto de candidato ao governo do Estado – caso restasse alguma. Pois, tem se confirmado esse cenário.

Bolsonaro restabeleceu diálogo com o presidente nacional do PL, Valdemar da Costa Neto, e agora com acertam os nomes dos bolsonaristas que serão candidatos nos estados. Em Goiás o nome já foi escolhido: major Vitor Hugo. Militar de grande proximidade com o presidente, inclusive já tendo ocupado a função de líder do Governo na Câmara Federal. 

Diferente de Mendanha, major Vitor Hugo tem histórico de bolsonarista raiz. É militar, conservador e a esquerda está sempre em alvo de ataques. Já o prefeito de Aparecida de Goiânia se aproximou da esquerda em 2020, e os petistas confirmam que há um diálogo com o ex-emedebista. Com Bolsonaro no PL, fica inviável os apoiadores locais  –  como a deputada federal Magda Mofatto manter o projeto de lançar Mendanha ao governo.

Se as eleições fossem hoje, quais os aliados de peso Mendanha teria para apresentar, se nem espaço nos partidos tem lhe restado? Como pré-candidato ao governo do Estado, a  situação de Mendanha se complica a cada dia que passa. Pode ser que lhe reste apenas o apoio do PSDB de Marconi Perillo. E também pode ser que não se efetive nenhuma filiação que garanta candidatura. O prefeito de Aparecida de Goiânia parece caminhar para rumo sem um espaço para chamar de seu.