Caiado vai apoiar Iris para prefeito e Iris vai apoiar Caiado para governador

Iris Rezende e Ronaldo Caiado: o “velho” e o “novo” se oxigenando em Goiânia e em Goiás. Uma aliança para 2016 e para 2018

Iris Rezende e Ronaldo Caiado: o “velho” e o “novo” se oxigenando em Goiânia e em Goiás. Uma aliança para 2016 e para 2018

Publicamente, o senador Ronaldo Caiado é um dos maiores críticos de o DEM fundir-se com outro partido. Já criticou a possibilidade de fusão com o PSDB — aliado histórico. Agora, com a hipótese de o partido se unir ao PTB, com o objetivo de se livrar da pecha de partido tipicamente nanico, o democrata não tem se manifestado de maneira radical. Por quê?

Porque, com seu faro político privilegiado, Ronaldo Caiado percebeu que o PMDB se tornou uma casa sem dono, com um líder que, de regional, se tornou apenas municipal, quer dizer, de Goiânia. Iris Rezende não tem mais planos para disputar o governo de Goiás. Cansou-se de perder e agora planeja apostar num nome consistente e, apesar de que terá 69 anos em 2018, relativamente novo. O jogo é simples: como Iris Rezende sabe que não pode contar com o PT para “renová-lo” na disputa pela Prefeitura de Goiânia — hoje, se mantida a aliança que deu certo em 2008 e 2012, o PT o “suja” —, precisa de Ronaldo Caiado para torná-lo mais palatável e menos encanecido.

Como o DEM não existe em Goiânia — e talvez não exista no Estado —, Ronaldo Caiado nada tem a perder se apoiar Iris Rezende, ou outro candidato do PMDB para prefeito. Pelo contrário, só tem a ganhar: poderá ser o candidato do partido a governador de Goiás em 2018. Para tanto, tem de se filiar ao partido? Não necessariamente. Mas, se houver a fusão entre PTB e DEM, o senador terá ganhado o pretexto adequado para migrar para o PMDB.

Há outro ponto: hoje, Iris Rezende não tem prestígio algum no PMDB nacional, porque nenhum dos deputados federais — Daniel Vilela e Pedro Chaves — pertence ao seu grupo político. E o partido não tem nenhum senador. Porém, pelas regras de Brasília, um senador vale mais do que dois deputados federais. E aí, se Ronaldo Caiado se filiar ao PMDB, Iris volta a se fortalecer.

Porém, se é adversário figadal do governo do PT, que é apoiado pelo PMDB, como ficará Ronaldo Caiado em termos de posicionamento político? É provável que, se se filiar mesmo ao partido, adotará um comportamento parecido com o do ex-senador Pedro Simon. Não custa ressaltar que o projeto eleitoral prioritário do democrata é mesmo em Goiás.

Está cedo para a tomada de decisões? Se estivesse, Iris Rezende e Ronaldo Caiado não estariam amarrando acordos e marcando encontros e convidando a imprensa para registrá-los.

4 respostas para “Caiado vai apoiar Iris para prefeito e Iris vai apoiar Caiado para governador”

  1. Alexandre Martins Ribeiro disse:

    Se o Governador Marconi (PSDB), um dos maiores apoiadores da Campanha Presidencial de Aécio Neves, pode ir para o PSD para ser candidato a Presidente da República com apoio do Presidente do Partido que é inclusive Ministro da Governo Dilma, o Senador Ronaldo Caiado pode sim ir para o PMDB e ser Candidato ao Governo do Estado de Goiás. Candidatura essa que será apoiada inclusive por grande parte dos que estão apoiando o atual Governador, independente se o Senador Ronaldo Caiado continuar no DEM ou mudar para o PMDB.

  2. João Paulo Silveira disse:

    E eu vou votar nulo já que desde menino sei que lugar de coro antigo é em tamborete.

  3. Claudemiro Souza Luz disse:

    O Ronaldo Caido para governador com o apoio do PMDB e do Iris será imbatível para governador em 2018. É preciso, entretanto, que o nobre senador se contenha nas suas palavras agressivas e raivosa na tribuna do senado. É combativo, sem dúvida, porem nos passa a ideia de um político violento, nervoso, desumano e sobretudo desafetuoso.

  4. Charles Alves Bento disse:

    Aposto no Dep.Francisco Junior .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.