A facção tradicional do PSDB banca reeleição do prefeito e rejeita o nome preferido do governador de São Paulo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), não está nada satisfeito com a informação de que o governador João Doria pode bancar seu secretário da Fazenda, Henrique Meirelles, para a disputa da prefeitura, em 2020.

Henrique Meirelles:  o engenheiro quer governar São Paulo (capital) ou São Paulo (Estado) | Foto: Reprodução

Ante a resistência de Bruno Covas, que, apesar de jovem, representa os tucanos históricos, João Doria pode segurar Henrique Meirelles mais um pouco. Se candidato a presidente da República, em 2022, aí João Doria bancaria Henrique Meirelles para o governo de São Paulo.

Henrique Meirelles gostaria de ser candidato a prefeito já em 2020. Mas, apesar da idade, pode aguardar um pouco. João Doria, afinal, não quer dividir ainda mais o dividido PSDB de São Paulo.

O problema é que Bruno Covas, cada vez mais desgastado, poderá levar o PSDB para a cova na cidade mais rica do Brasil — na verdade, um Estado dentro de um Estado. Já Henrique Meirelles tem uma pedra no caminho: não é nada popular. Portanto, se quiser ser candidato, tem de começar a se divulgar agora, com o objetivo de se tornar mais conhecido. Entretanto, com Bruno Covas na prefeitura, com uma máquina poderosa, o engenheiro que presidiu o BankBoston sente-se engessado.