Quando o governo federal buscou os brasileiros que estavam na China, Roberto Naves ofereceu o apoio da prefeitura

Roberto Naves, Ronaldo Caiado e Jair Bolsonaro: aliança nacional, estadual e, possivelmente, municipal | Fotos: Jornal Opção e reprodução

Jair Bolsonaro havia dito que só iria participar de campanhas eleitorais no segundo turno — para alavancar candidatos que apoiam seu governo. Mas, ante o fato de que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), operou a construção de uma grande frente de apoio à reeleição do prefeito Bruno Covas (PSDB), o presidente mudou de ideia. “Eu não pretendia entrar nas decisões de eleições municipais, mas Celso Russomanno é um amigo de velha data e estou pronto pra ajudar no que for preciso”, afirmou na segunda-feira, 5.  Ministros do governo também decidiram entrar na campanha.

Bolsonaro já admite que deve participar das campanhas em São Paulo, Santos e Amazonas. Há quem aposte que o presidente também vai participar da campanha do prefeito de Anápolis, Roberto Naves, do partido Progressistas.

Ronaldo Caiado, com Jair Bolsonaro e Roberto Naves | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O principal adversário de Roberto Naves é um adversário figadal de Bolsonaro — o deputado estadual Antônio Gomide, do PT de Lula da Silva. O que, por si, já motiva Bolsonaro a participar da campanha. Há também o fato de que Anápolis fica bem perto de Brasília e é uma cidade emblemática para Bolsonaro — até por ter uma base da Aeronáutica.

Há dois outros fatores que aproximam Bolsonaro de Roberto Naves. Primeiro, o prefeito é o candidato do governador de Goiás, Ronaldo Caiado — um dos principais aliados do presidente Bolsonaro. Segundo, quando o governo federal decidiu buscar os brasileiros que estavam na China, no início da pandemia do novo coronavírus, o prefeito de Anápolis atendeu ao presidente e prestou assistência de maneira ampla. Bolsonaro apreciou a ação do prefeito e pode retribuir apoiando sua candidatura. O presidente é grato a Roberto Naves.