Avianca, com dívida milionária, pede recuperação judicial

A dívida chega a 306 milhões de reais. Nem tudo é de curto prazo. A dívida imediata é de 50 milhões de reais e aviões devem ser retomados

Com uma dívida declarada 306 milhões de reais, a companhia de aviação Avianca Brasil pediu recuperação judicial na segunda-feira, 10. O pedido está sendo examinado pelo juiz da 1ª Vara Empresarial de São Paulo. A dívida de curto prazo é de 50 milhões de reais.

Os credores da Avianca, como não conseguem receber da empresa, estavam pedindo o arresto de aviões. A empresa inicialmente era considerada exemplar, mas, de repente, começou a não pagar seus fornecedores. Sequer concessionários de aeroportos estão recebendo. Alguns aviões devem ser devolvidos. Na quarta-feira, 5, duas aeronaves foram apreendidas, no Aeroporto Internacional de Brasília, por ordem do juiz Cesar Augusto Vieira Macedo. A empresa que acionou a Avianca foi a Boc Aviation Limited, que quer retomar dois Airbus A320-351N. A Constitution Aircraft pode retomar 11 aviões (18% da frota).

Segundo o “Estadão”, a Avianca deve quase 100 milhões de reais a aeroportos brasileiros privados e públicos. Só o de Guarulhos cobra uma dívida de 25 milhões de reais. A Agência Estado obteve a informação de que a Avianca pagou “parte das dívidas”.

Os bancos ABC, Daycoyal, Safra e Fibra emprestaram 130 milhões à Avianca. Os financiamentos vencem em 2018 e 2021. O endividamento sobe para 306 milhões de reais. A Agência Estado fria que, “no fim de 2017, estava em 194 milhões”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.