Assassino de José Gomes praticou tiro ao alvo durante duas semanas. Crime pode ter sido premeditado

A polícia encontrou mais de 200 cápsulas deflagradas da pistola .40, aparentemente a mesma com a que Gilberto do Amaral matou o ex-prefeito e um cabo da Polícia Militar

José Gomes da Rocha, ex-deputado federal e ex-prefeito, e o policial militar Vanilson Pereira foram assassinados, em Itumbiara, pelo funcionário público Gilberto Ferreira do Amaral, na semana passada

José Gomes da Rocha, ex-deputado federal e ex-prefeito, e o policial militar Vanilson Pereira foram assassinados, em Itumbiara, pelo funcionário público Gilberto Ferreira do Amaral

Uma semana antes de assassinar o ex-prefeito de Itumbiara José Gomes da Rocha e o cabo da Polícia Militar Vanilson Pereira, numa carreata no final de setembro em Itumbiara, o funcionário da prefeitura Gilberto Ferreira do Amaral, o Béba, praticou tiro ao alvo, numa chácara, durante duas semanas.

A polícia encontrou mais de 200 cápsulas de .40 deflagradas. Trata-se aparentemente da mesma arma com a qual ele matou José Gomes e Vanilson Pereira e feriu o vice-governador José Eliton e o motorista do veículo no qual os políticos faziam uma carreata.

O treinamento sugere que Gilberto do Amaral premeditou o crime. Ele sabia atirar, pois era apontado como caçador experimentado, mas provavelmente não tinha domínio completo da pistola .40, o que adquiriu nas duas semanas de treinamento.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.