Ana Carla mantém secretários sob “rédea curta” e avisa: é preciso cortar mais

Secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão: “Precisamos ser cautelosos” | Foto: reprodução / Facebook

Secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão: “Precisamos ser cautelosos” | Foto: reprodução / Facebook

Com o finalizar do semestre, Ana Carla Abrão (Fazenda) e Thia­go Peixoto (Planejamento) têm promovido rodadas de reuniões com os demais secretários. A intenção é tanto mostrar os resultados dos ajustes feitos até o momento como reforçar que os gestores continuem sendo rigorosos no controle dos gastos.

As reuniões servem também para alertar que algumas pastas ainda têm “gorduras” para serem cortadas, principalmente com contas de energia, água e telefone. Não se trata de outra reforma, mas de um pit-stop para perceber os resultados e gerar previsões.

Segundo Ana Carla, o Estado ainda precisa conter gastos, principalmente porque a arrecadação, embora tenha se mantido estável, não sobe. “E não sabemos o que a economia brasileira guarda para o futuro. As perspectivas não são boas, então precisamos ser cautelosos”, afirma. A cautela é também para que Goiás se mantenha à frente da realidade nacional.

Em relação a empregos, por exemplo, enquanto a taxa de desocupação chegou a 8% no Brasil, o Estado conseguiu gerar 1,52% de ocupação. “Fomos um dos poucos Estados a gerar índice positivo de emprego. Queremos manter assim, mas também dependemos da conjuntura nacional”, alerta a secretária.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.