Aliados de Flávio Buonaduce avaliam que o desembargador aposentado, se não houver empecilho legal, tem direito de pleitear o comando da OAB-Goiás

Se o desembargador aposentado Paulo Teles [foto acima], uma referência da advocacia goiana, não conseguir formar chapa para disputar a presidência da OAB-Goiás — precisa de 102 advogados —, seu futuro na campanha não está definido. Paulo Teles desmente o grupo de Lúcio Flávio Paiva e disse que não vai apoiá-lo.

Paulo Teles convocou reunião com o grupo de apoiadores para 10 de setembro. Até agora, não se sabe se por tática, apresentou apenas quatro nomes de sua possível chapa: José Bezerra Costa, juiz aposentado e professor de Direito; Colemar José de Moura Filho, advogado eleitoral, ligado a Alcides Rodrigues e Jorcelino Braga; Ricardo Naves, advogado criminalista; e Sebastião “Juruna” Ferreira Leite, advogado de empresas do setor imobiliário e militante do PT.

Aliados de Lúcio Flávio apostam que a chapa de Paulo Teles não emplaca. Já aliados de Flávio Buonaduce dizem respeitar o desembargador e avaliam que, se não houver empecilho legal, tem direito de disputar a eleição.