Um empresário ligou para um amigo que tem posição de destaque na Prefeitura de Goiânia e clamou: “Por favor, mande limpar o lote que fica em frente de minha empresa. É perigoso dengue e outras doenças”.

O amigo respondeu: “Tudo bem. Vamos limpá-lo e, depois, vamos aplicar uma multa bem alta no proprietário do lote”.

Aí o empresário, que fingia desconhecer quem era o dono do lote, disse, rápido: “Não faça isso, caro amigo”.

“Por que?”, perguntou o aliado do prefeito Paulo Garcia.

“É que o lote, na verdade, é meu” — disse, com certa desfaçatez, o empresário.