Ala de Jaques Wagner derruba Augusto Fonseca, o marqueteiro de Lula

Queda do marqueteiro sinaliza um ligeiro enfraquecimento de Franklin Martins. Sidônio Palmeira é cotado para ser o novo marqueteiro

Jaques Wagner: o político da Bahia cresce na pré-campanha de Lula d Silva | Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro permanece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, mas experimenta um ligeiro crescimento. Ainda não representa um ameaça para o pré-candidato do PT a presidente, Lula da Silva. Mas o petista-chefe, se não está caindo, aparentemente estagnou.

Franklin Martins: o jornalista influencia Lula, mas está perdendo terreno | Foto: Reprodução

Então, se na guerra (a das armas), a primeira vítima é a verdade, na batalha política, por vezes, a primeira vítima é o marqueteiro. O marqueteiro de Lula da Silva, o jornalista Augusto Fonseca, foi afastado pela cúpula do PT na quinta-feira, 21.

Sidônio Palmeira: o marqueteiro que Jaques Wagner quer para Lula | Foto: Reprodução

Oficialmente, a saída de Augusto Fonseca tem a ver com a dificuldade de captação de recursos financeiros. Para fazer a campanha de Lula da Silva, o marqueteiro cobrou mais de 40 milhões de reais. Numa nota, o PT disse que, “por razões administrativas e financeiras, não foi possível consolidar a contratação da produtora MPB (empresa de Augusto Fonseca) para participar da campanha eleitoral deste ano”. O texto acrescenta: “Não foi possível compatibilizar a proposta orçamentária com o planejamento dos recursos partidários”.

Augusto Fonseca: o marqueteiro que caiu da pré-campanha do PT | Foto: Reprodução

De fato, a explicação é lógica. Os tempos mudaram e as campanhas deverão ser menos dispendiosas. Mas há outra (ou outras) explicação.

O jornalista Franklin Martins é influente junto a Lula da Silva e Augusto Fonseca foi sua opção para “criar” a propaganda política do pré-candidato petista para 2022. Mas o crescimento de Bolsonaro e o fato de a propaganda partidária criada pelo marqueteiro, exibida em março, não ter agradado nem gregos nem troianos acabaram por derrubar o marqueteiro. Faltou “emoção”, dizem petistas.

Geraldo Alkmin e Lula da Silva: chapa moderada precisa ter discurso moderado | Foto: Reprodução

Na verdade, Franklin Martins perdeu o primeiro round da batalha interna no PT. Tanto que Sidônio Palmeira — o marqueteiro “vitorioso” do PT na Bahia — deve ser o substituto de Augusto Fonseca.

O que está realmente em jogo? Franklin Martins, tudo indica, quer um Lula da Silva mais radicalizado e crítico. Mas o grupo de Jaques Wagner avalia que o ex-presidente precisa caminhar para o centro, ou seja, deve moderar-se. Recentemente, ao tecer comentários sobre aborto, o pré-candidato do PT teria perdido votos entre os eleitores evangélicos e católicos mais conservadores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.