Adib Elias vai tentar levar 100% do MDB para apoiar o governo de Ronaldo Caiado

Há quem aposte que cargos e recursos para prefeitos podem tirar o partido do controle de Daniel Vilela

Adib Elias, Iris Rezende, Renato de Castro, Paulo do Vale, Ernesto Roller, Nailton Oliveira, Iris Araújo, Bruno Peixoto, Samuel Belchior: líderes do exército que pretende levar o MDB a apoiar integralmente o governo de Ronaldo Caiado | Fotos: reprodução

Há quem aposte que dois políticos — os prefeitos Adib Elias, de Catalão, e Iris Rezende, de Goiânia — vão levar o MDB a apoiar o governo de Ronaldo Caiado (DEM) de maneira integral. Mas um político apresenta uma ideia original: “Na verdade, não são Adib e Iris vão garantir o apoio do emedebismo ao governo do presidente do Democratas. Os ‘militantes’ conhecidos como ‘Cargos” vão empurrar todo o partido para o governismo. Ao mesmo tempo, outros ‘militantes’, chamados de ‘Verbas’, vão atrair os prefeitos”.

No momento, Daniel Vilela circula pelo interior reestruturando o MDB, com o objetivo de manter o poder. Como tem prestígio nacional junto ao presidente Michel Temer — que, mesmo afastado do governo, a partir de 1º de janeiro de 2019, manterá certa influência sobre o partido —, o deputado federal vai lutar, já está lutando, para manter a presidência do partido. Há aliados que são leais. Mas resistir ao cheiro de poder, para um partido que está longe das benesses do governo há 20 anos, não será nada fácil.

A possibilidade de acordo entre Adib Elias e Daniel Vilela é real ou ficcional? Tudo indica que só haverá acordo se Daniel Vilela declarar apoio, publicamente, ao governo de Ronaldo Caiado. Se o não fizer, haverá disputa interna, e das mais renhidas. Porque o grupo de Adib Elias, que está vez mais encorpado — sugere que tem o controle de 80% do partido, e inclusive conta com o apoio de prefeitos como Iris Rezende, de Goiânia, Paulo do Vale, de Rio Verde, Ernesto Roller, de Formosa, e Renato de Castro, de Goianésia —, não vai romper com Ronaldo Caiado, pois foi peça chave para sua vitória. Luiz Carlos do Carmo, que a partir de janeiro será senador por quatro anos, é outro aliado de Adib Elias na batalha contra o comando de Daniel Vilela.

O irismo-adibismo cogita que Daniel Vilela pode somar forças no apoio a Ronaldo Caiado, mas nem aceita discutir a hipótese de que o MDB fará oposição ao governo do presidente do Democratas. “A partir de fevereiro de 2019, Daniel Vilela não terá mais mandato de deputado federal e estará na planície. Nós, pelo contrário, temos prefeitos importantes, um senador e deputados estaduais. Quem terá de ceder? O mais provável é que a base do partido, por puro realismo, se reúna para dizer a Daniel Vilela que vai ficar com Caiado e com seus companheiros, como Adib Elias, Ernesto Roller, Paulo do Vale, Iris Rezende, Iris Araújo, Samuel Belchior, Nailton Oliveira, Bruno Peixoto e Renato de Castro. Se brincar, Daniel Vilela ficará sozinho e terá, possivelmente, de se filiar ao PP de Alexandre Baldy”, afirma um emedebista que apoia Ronaldo Caiado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.