O senador Ronaldo Caiado, do DEM, e o deputado federal Daniel Vilela, do PMDB, comprou briga grande com o empresariado e as entidades de classe de Goiás ao agirem para inviabilizar acordo que evitaria um prejuízo de R$ 400 milhões para a Celg, em manobra que retirou de medida provisória texto que beneficiaria a empresa.

O governador Marconi Perillo agiu rápido, reuniu o fórum empresarial e de engenharia, relatou a situação e ganhou o apoio de todos contra as ações do senador do DEM e do deputado do PMDB. Resultado: os dois ficaram sozinhos, repudiados pelas entidades e com a marca de inimigos da Celg e de Goiás. Ponto para Marconi Perillo, que foi rápido e certeiro no gatilho.