O blogueiro Wellington Macedo de Souza, também conhecido como o “homem-bomba dos atos golpistas”, está programado para prestar depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Distrito Federal nesta quinta-feira, 5 de outubro. O apoiador do presidente Bolsonaro foi sentenciado a uma pena de 6 anos em regime inicial fechado, após uma tentativa de explosão de uma bomba nas proximidades do aeroporto de Brasília em dezembro de 2022.

Wellington foi detido em 14 de setembro no Paraguai, em uma operação conjunta entre a Polícia Nacional paraguaia e a Polícia Federal (PF). O presidente da CPI da Câmara Legislativa, Chico Vigilante (PT), confirmou a realização do depoimento nesta quinta-feira.

“Confirmamos a presença do blogueiro Wellington Macedo de Souza, capturado no Paraguai e detido pela tentativa de explodir uma bomba nas proximidades do aeroporto de Brasília. O depoimento está agendado para amanhã, às 10 horas, na CPI dos Atos Antidemocráticos da CLDF”, anunciou nas redes sociais.

Vale ressaltar que o blogueiro já compareceu à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Congresso Nacional, optando por permanecer em silêncio, direito assegurado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) após um pedido de habeas corpus preventivo apresentado pela sua defesa.

No que diz respeito à condenação, Wellington Macedo já havia sido sentenciado pela 8ª Vara Criminal de Brasília a cumprir 6 anos de prisão. Ele enfrenta duas investigações da Polícia Civil (PCDF).

Segundo a decisão judicial, a condenação decorre da atitude de “expor a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outro, mediante colocação de dinamite ou de substância de efeitos análogos em um caminhão-tanque carregado de combustível, bem como causar incêndio em combustível ou inflamável”.

Após o incidente com a bomba, o condenado quebrou a tornozeleira eletrônica dois dias depois. Ele utilizava o dispositivo desde outubro de 2021. Mesmo considerado foragido da Justiça, o blogueiro tentou ingressar na cerimônia de posse do presidente do Paraguai, Santiago Peña.

Em 2021, Wellington já havia sido detido por incitar manifestações com pautas antidemocráticas em 7 de setembro daquele ano, mas foi libertado mediante a condição de usar a tornozeleira eletrônica 24 horas por dia.