O novo governo Lula decidiu extinguir a diretoria agrícola do Ministério das Relações Exteriores (MRE). A medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) de domingo, 1º. A diretoria agrícola será incorporada pelo “Departamento de Promoção Comercial, Investimentos e Agricultura”, que terá um diretor/diretora e outros quatro profissionais. Essa decisão não foi bem aceita pela bancada do agro.

O departamento terá como objetivo “elaborar, acompanhar, propor, orientar e executar as atividades de promoção comercial e de atração de investimentos, em coordenação com as demais unidades responsáveis, nas áreas da indústria, da agricultura e de serviços, inclusive nos setores de energia, mineração e ciência, tecnologia e inovação”.

A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que conta com mais de 300 parlamentares, afirmou que recebeu a informação com “preocupação”. A bancada do agro pediu para a equipe de Lula reconsiderar a decisão. Nesse sentido, lembra que a área foi criada a partir de ideia promovida pelo próprio colegiado junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“Importante ressaltar que a pasta [o Ministério das Relações Exteriores] é de extrema importância para o desenvolvimento do setor agropecuário nacional, para as articulações internacionais e abertura de novos mercados e, por último, para a conscientização do mercado externo sobre a qualidade e origem dos produtos brasileiros”, disse a FPA em nota.