Uma nova rodada de estimativas para a Safra de Grãos 2022/2023, divulgada nesta quinta-feira (11/05) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), mostra Goiás ainda mais isolado na liderança da produção de sorgo e girassol no País. O 8º Levantamento da Conab traz outra informação importante: após alguns meses, Goiás volta a aparecer na terceira posição no ranking geral de principais produtores de grãos entre os estados e o Distrito Federal.

“Algumas culturas se beneficiaram das chuvas e, enquanto alguns Estados tiveram perdas, Goiás seguiu o caminho inverso. Mas também tem muito trabalho do produtor rural goiano envolvido nessa melhora da perspectiva. Estamos vendo um avanço relevante na produtividade, e isso é sinal de boas condições climáticas, aliadas à profissionalização, investimento em tecnologia e conhecimento”, afirma o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Leonardo Rezende.

Em relação ao levantamento divulgado no mês passado, a estimativa para a produção estadual de sorgo no ciclo atual aumentou de 1,17 milhão de toneladas para 1,34 milhão de toneladas. Se confirmado, o resultado significa um crescimento de 21,9% em relação ao volume produzido na Safra 21/22. Segundo a Conab, as lavouras goianas do grão “estão em boas condições de desenvolvimento, favorecidas principalmente pela continuidade das chuvas em volumes satisfatórios durante abril”. O rendimento médio, antes de 3,05 toneladas por hectare, agora está estimado em 3,49 toneladas por hectare.

No caso do girassol, todas as estimativas – produção, produtividade e área plantada – foram revisadas para cima em relação ao último levantamento. O volume projetado para a safra goiana do grão passou de 43,2 mil toneladas para 48,2 mil toneladas no ciclo 22/23, o que significa um acréscimo de 121,1% em relação ao ciclo anterior. Já a perspectiva para produtividade saiu de 1,6 tonelada por hectare para 1,62 tonelada por hectare (mais 93,3% frente a 21/22), e a expectativa para a área plantada subiu 27 mil hectares para 29,7 mil hectares (alta de 14,2%).

De acordo com a Conab, as lavouras goianas devem entregar um total de 32,28 milhões de toneladas de grãos na Safra 22/23. O número também foi revisado para cima – no último levantamento, a projeção era de 32,01 milhões de toneladas. O volume deve dar a Goiás o terceiro lugar entre os maiores produtores estaduais, atrás apenas de Mato Grosso e Paraná, e representa um crescimento de 11,9% na comparação com a Safra 21/22.

O 8º Levantamento da Safra 2022/2023 indica que a produção de soja deve alcançar 17,73 milhões de toneladas em Goiás (mais 2% relação ao ciclo passado), com produtividade de 3,9 toneladas por hectare (queda de 1,5%) e área plantada de 4,55 milhões de hectares (alta de 3,5%). Já a produção goiana de milho deve totalizar 12,59 milhões de toneladas (alta de 29,2%), com produtividade de 6,74 toneladas por hectare (mais 32,8%) e área plantada de 1,87 milhões de hectares (queda de 2,7%).

Recorde
Para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Goiás deve atingir em 2023 a maior área plantada com cereais, leguminosas e oleaginosas da série histórica registrada pelo órgão no estado. A estimativa é de 6,73 milhões de hectares, aumento de 4% em comparação com o ano passado. A produção goiana deve chegar a 29,1 milhões de toneladas, respondendo por 9,6% da produção nacional. Em relação ao mês anterior, a estimativa para a produção total goiana registrou acréscimo de 1,3 milhão de toneladas, maior entre todos os estados