Esquema entre agentes federais, JBS e BRF permitia venda de carne imprópria para consumo

Mediante pagamento de propina, superintendentes do Ministério da Agricultura atuavam para facilitar produção de alimentos adulterados em Goiás, Curitiba e MG