Augusto Diniz
Augusto Diniz

Um selo dentro de outro: o nascimento da Falante Records

Com dez anos de atividade, Fósforo Cultural dá voz a um novo projeto neste sábado (27/2) que inclui lançamento de discos, organização e produção de shows, numa ponte entre Goiânia e Rio de Janeiro

Banda de pop rock Oblongs se apresenta na festa de lançamento da Falante Records neste sábado (27/2) | Foto: Ney Couteiro

Banda de pop rock Oblongs se apresenta na festa de lançamento da Falante Records neste sábado (27/2) | Foto: Ney Couteiro

Falante Records. Esse é o nome do novo projeto da Fósforo Cultural que tem trabalho definido em Goiânia e Rio de Janeiro como bases. A proposta, de acordo com selo, que será lançado neste sábado (27/2), é a seguinte: aproximar músicos e produtores que movimentam o mercado fonográfico e cultural brasileiro.

Para dar vida à Falante Records, acontece no sábado, a partir das 19 horas, a festa de lançamento do selo no República Rock Pub, que fica no Centro de Goiânia. A noite terá shows das bandas Oblongs, Almost Down, Face Noruega e Hemisfério, além de DJs da Fósforo Cultural. Tudo isso com entrada a R$ 15.

“Uma opção ao músico de apresentar ao público o seu trabalho e dar um start up em sua carreira facilitando o acesso ao mercado fonográfico.” A fala é do produtor cultural João Lucas Ribeiro, da Fósforo Cultural e agora também do selo Falante Records.

Ele afirma que o foco dessa proposta é abrigar artistas “totalmente independentes” e, a partir daí, trabalhar o que ele considera as “atividades essenciais que precisam ser planejadas e executadas por alguém”.

Entre essas ações que a Falante Records vai desenvolver estão a gravação de discos que tenham a produção discutida entre o selo e os artistas, o registro das canções desses compositores, o trabalho de busca de licenciamentos, formas de divulgação e direção artística.

A Falante já nasce com mais de 20 bandas sob o seu cuidado. É parte do trabalho do selo, que vai focar suas atividades na distribuição online de música, com uso de plataformas como iTunes, Deezer, Rdio, Spotify e Google Play, valorizar o trabalho de empresas musicais independentes e seus projetos em práticas atuais adotadas nesse mercado.

Neste ano, a Fósforo completa dez anos de existência e coloca na Falante Records seu trabalho de destaque do que foi definido como “talento emergente”. Enquanto a Falante vai “cultivar um berço de bandas vitais, jovens e relativamente desconhecidas”, a Fósforo estará no topo dessa cadeia de produção.

A Fósforo manterá seu trabalho de produção e promoção da cultural local, com festivais e fomento de bens culturais em rede. Em diálogo com projetos que destacam a importância de alimentar a discussão sobre música e cultura no País, a Fósforo se coloca na posição de pai de um filho com pretensões ambiciosas: a Falante Records.

Conheça cinco das bandas da Falante Records

Entre os artistas desse novo selo está a rapper Mademoiselle Lulu Monamour, primeira rapper gay que teve seu trabalho conhecido no hip hop nacional. Sua mixtape Madame do Povo, de 2012, foi o primeiro passo até o lançamento do disco Futuro em Rima (2016), que terá distribuição feita pela Falante.

O disco Futuro em Rima tem participação de artistas como Salma Jô, do Carne Doce, CL A Posse, Tati Ribeiro, Pietra Cardoso, Pedro Henrique e Conexão C.N rap. Além disso, o curta-metragem Mademoiselle do Rap será lançado no dia 21 de março no Cine Cultura às 19h30 com entrada franca.

Emerson Eizan e João Felipe Ferreira são o American Tyrants, dupla de dance music com disco punk e outras referências eletrônicas, nasceu em 2015. Do indie rock goiano ao American Tyrants, Emerson e João Felipe lançarão o disco Although My Body is Tired, My Thoughs Goes Higher! em breve, segundo a Falante.

Imagem é parte da capa do disco do American Tyrants, que será lançado pelo novo selo | Foto: Divulgação

Imagem é parte da capa do disco do American Tyrants, que será lançado pelo novo selo | Foto: Divulgação

Urumbeta do Espaço é um post-rock com space rock goiano que surgiu em 2012 da junção de sons instrumentais e astronomia. Tem na sua formação Zó Dias nos sintetizadores, Lucas Fernandes na guitarra, Chrisley Hernan no baixo e Polliene Dourado na bateria.

Nas influências do Urumbeta estão artistas como Kraftwerk, Vangelis, Pink Floyd, John Frusciante, God Is An Astronaut, Mogwai, Explosions in The Sky e Tycho. Em 2015, a banda lançou o EP Primeiro Contato, que cinco músicas em pouco mais de 23 minutos.

O Almost Down é o representante do post-hardcore mais presente nos festivais goianos de música independente nos últimos anos. Formada em 2014, a banda tem nas suas influências Paramore, Foo Fighters, My Chemical Romance, Fall Out Boy, 30 Seconds to Mars e traz uma sonoridade que lembra, em alguns momentos, o grupo canadense Alexisonfire.

Caio (vocal), Murilo (guitarra e backing vocal), Gabriel (guitarra), Betto (baixo) e Taiguara (bateria) lançaram em 2015 o EP Find The Balance, que será distribuído virtualmente pela Falante Records.

Criada em 2015, a Lutre é um trio alternativo de rock cantado em português formado por Marcello Victor (vocal e guitarra), Chrisley Hernan (baixo) e Jefferson Radi (bateria). A ideia do grupo é experimentar arranjos originais com alternância de ritmo em uma mesma música que se encaixa em cada canção. O primeiro EP, com as faixas Sonhos e Distração, foi lançado em janeiro e será distribuído pelo novo selo. A gravação conta com a participação de Zó Dias, do Urumbeta do Espaço, nos sintetizadores.

Festa de lançamento da Falante Records

Data: sábado (27/2)

Horário: a partir das 19 horas

Local: República Rock Pub – Alameda Botafogo, número 428, Centro

Ingresso: R$ 15,00

Pagamento: entrada em dinheiro; consumo pode ser feito com cartão

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.