Mesmo impugnado, Arruda deve continuar campanha eleitoral

Político teve candidatura barrada pelo TSE nesta madrugada, no entanto ainda tem o direito de recorrer da decisão e por isso permanece candidato ao governo do DF

ARRUDA TSE

Arruda foi o primeiro governador do Brasil a ser encarcerado durante o mandato | Foto: Sergio Lima/Folhapress

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou na madrugada desta quarta-feira (27/8) a decisão de indeferir a candidatura do ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (PR), por improbidade administrativa com base na Lei da Ficha Limpa. Por seis votos a um, o TSE negou o recurso em que Arruda pedia anulação da decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) que já havia barrado sua candidatura no último 9 de julho.

Os ministros entenderam que o ex-governador não poderia disputar o governo do Distrito Federal foram Henrique Neves, Admar Gonzaga, Luiz Fux, Laurita Vaz, João Otávio de Noronha, e o presidente do TSE, Dias Toffoli. O ministro Gilmar Mendes foi o único a votar a favor do direito de Arruda disputar as eleições de outubro.

Diante do julgamento, Arruda ainda tem o direito de recorrer da decisão, por isso continuará candidato e sua campanha deve continuar, inclusive participando do programa gratuito eleitoral no rádio e na televisão.

Mais uma polêmica

Em vídeo divulgado na terça-feira (26), o candidato surgiu como protagonista de mais uma polêmica. Imagens e áudios gravados no último dia 21, na casa do advogado Eri Varela, Arruda afirma estar “trabalhando para a vitória no TSE”, ou seja, por meio de articulações, ele estava conquistando votos de ministros e disse ter o posicionamento favorável de dois integrantes do TSE. As gravações foram entregues ao Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF).

Aos interlocutores presentes na casa de Eri Varela, Arruda diz que seus aliados deveriam buscar a possibilidade de encontrar uma alternativa para ganhar as eleições caso a impugnação fosse mantida. “Se a gente ganhar, ganhou. Se não ganhar, vamos ter que descobrir o caminho de ganhar a eleição sem mim”, disse.

Confira abaixo dois trechos das gravações divulgados pelo jornal Correio Braziliense:

https://www.youtube.com/watch?v=xMFVVtM7gAE
https://www.youtube.com/watch?v=lGxLnJS4udY

Histórico político

Arruda já foi eleito senador, deputado federal e governador. Em 2001 renunciou após escândalo de adulteração do painel de votação do Senado, quando atuou ao lado de Antônio Carlos Magalhães.

Em 2010 o cenário político do País presenciou um grande esquema de corrupção no governo do Distrito Federal, que ficou conhecido como mensalão do DEM. Durante as investigações das denúncias, o então governador do DF foi preso preventivamente, tornando-se o primeiro governador do Brasil a ser encarcerado durante o mandato. Arruda foi afastado do governo, por ordem da Justiça brasileira, e ficou preso de fevereiro a abril de 2012.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.