Suspeita de direcionamento de contratos no Sebrae leva a auditoria pela CGU

Diretor nega qualquer irregularidade e afirma que não foi notificado sobre nenhuma investigação

Wanderson Portugal | Foto: Divulgação

Auditores federais de Finanças e Controle da Controladoria Regional da União no Estado de Goiás (CGU-R/GO) apuram suspeita de direcionamento de contratos na execução do programa Sebraetec – Serviços em Inovação e Tecnologia no ano de 2018.

Assim, foram solicitados documentos ao Sebrae sobre o assunto. Ainda de acordo com denúncia enviada ao Jornal Opção, caso é de suspeita de que o diretor Wanderson Portugal teria direcionado contratos para empresas de inseminação bovina e para uma única empresa da área de qualidade do leite. A denúncia acusa, ainda, que, quando presidente do Conselho Regional de Veterinária (CRV), o diretor teria sido investigado de beneficiar empresas sem serviços prestados no caso do Programa Negócio a Negócio.

Em contato com a reportagem, o diretor nega veementemente qualquer irregularidade. “Não existe nenhuma investigação sobre isso aqui, tudo passa por aval e não há problema algum. O Sebrae é uma empresa seríssima e o conselho, igualmente”, disse. Segundo ele, a acusação sobre o CRV é ainda mais absurdo, pois não haveria qualquer ligação com o Programa Negócio a Negócio.

Na solicitação de relatório, a CGU pede o planejamento com informações que contemplem a execução do Sebraetec no exercício de 2018, normativos e documentação técnica, além de edital e documentação relativa a processo de cadastramento e rodízio de prestadoras de serviço. Além disso, foram pedidos relatórios e prestações de contas em relação à execução.

Uma resposta para “Suspeita de direcionamento de contratos no Sebrae leva a auditoria pela CGU”

  1. Avatar Juliano Diniz disse:

    Tem que repensar a forma de lancar editais do sebraetec de forma a ser acessivil a todos de forma transparente e nao sendo levafo por cobsultores a empresas que atebdem. Da forma que está facilita a corrupção e o direcionamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.