Prefeitura de Goiânia arrecada 10% a mais, mas investimento em Educação é abaixo do exigido por lei

Gestão Iris aplicou 16,34% da receita em Educação enquanto Constituição exige mínimo de 25%

Prefeito Iris Rezende (MDB) presta contas relativas ao primeiro quadrimestre de 2019 | Foto: Lívia Barbosa/Jornal Opção

O prefeito Iris Rezende (MDB) está na Câmara Municipal onde presta contas relativas ao primeiro quadrimestre de 2019. De acordo com o balanço, a arrecadação da prefeitura cresceu 10,5% se comparado com o mesmo período do ano passado. Já as despesas representaram um crescimento real de 7,67%.

A prefeitura fechou os primeiros quatro meses do ano com dívida consolidada de R$ 927,7 milhões. O número representa 21,77% do limite de endividamento definido pelo Senado para Goiânia, que é de R$ 5,1 bilhões. De acordo com o Paço, esta é uma das menores taxas de comprometimento do país. 

Apesar dos números positivos, a prefeitura investiu em Educação menos do que a constituição exige. A aplicação mínima que deveria ser de 25% ficou em apenas 16,34%. A despeito dos dados preocupantes, o secretário de Finanças, Alessandro Melo, diz que deve-se levar em consideração que muitas obras estão em andamento.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (SME), é normal que o índice fique abaixo do exigido nos primeiros meses do ano já que nesse período a arrecadação com IPTU aumenta a receita. No entanto, os 25% exigidos pela constituição deve ser atingido ao longo dos próximos meses.

Já na Saúde, de acordo com o Paço, o investimento ficou acima do mínimo constitucional, de 15%, e chegou a 17,18%.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.