Polícia quer ouvir Major Araújo sobre ligação com suspeito de assassinato de Ana Clara

Deputado estadual garantiu ao Jornal Opção que informou Polícia Militar sobre caso, fornecendo dados e contatos telefônicos 

Major Araújo confirmou que falou com suspeito de assassinar Ana Clara e o aconselhou a se entregar para a polícia | Foto: André Costa / Jornal Opção

Amanda Damasceno e Bruna Aidar

O titular do Grupo Antissequestro (GAS) da Delegacia Estadual de Investigações (Deic), Kleyton Manoel, afirmou que pretende chamar o deputado estadual Major Araújo (PRP) para prestar esclarecimentos sobre seu relacionamento com Luis Carlos Costa, suspeito de assassinar a menina Ana Clara.

Em entrevista ao Jornal do Meio Dia nesta quinta-feira (23/2), Major disse que era amigo do homem e que o aconselhou a se entregar para a polícia na madrugada de terça para quarta-feira, horas antes do corpo da criança ser encontrado. De acordo com o parlamentar, Luis Carlos negava que tivesse cometido o crime.

“Cheguei a conversar com ele, já na madrugada, já amanhecendo o dia, e aconselhei ele a procurar a polícia e se entregasse. Cheguei a perguntar pra ele: eles estão atrás de você? Você tem algum envolvimento? E ele negava veementemente que tinha participação”, declarou o deputado.

Major afirmou ter conversado também com a namorada dele, que foi quem denunciou o paradeiro de Luis Carlos. “Ela estava chorando muito, muito nervosa, muito aflita. Eu perguntei se ela sabia onde ele estava e ela me confirmou que sabia. Imediatamente, sugeri para ela que ligasse para a polícia e indicasse o local, tendo em vista que ela também poderia estar incorrendo em crime”, explicou.

O delegado disse que quer ouvir Major porque, para ele, o deputado deveria ter repassado qualquer informação que tivesse sobre o caso à polícia. Segundo o parlamentar, ele conheceu o casal por intermédio de amigos em comum há aproximadamente três anos.

Ao Jornal Opção, a assessoria do deputado confirmou que ele entrou em contato com Luis Carlos, mas afirmou que após conversar com o suspeito, o parlamentar falou com a Polícia Militar. Major Araújo garante que passou os dados e o contato da namorada de Luis para agentes do serviço de inteligência da PM que chegaram a participar da ação que encontrou o homem na quarta-feira (22).

2 respostas para “Polícia quer ouvir Major Araújo sobre ligação com suspeito de assassinato de Ana Clara”

  1. Avatar Liedja disse:

    O senhor é experiente, desde o início já saberia que a história dele era falsa. Se não identificou desde o início, nos faz questionar sua experiência como policial. Por que o senhor mesmo não ligou para a olícia, ao perceber que a noiva dele não foi adequadamente atendida? Por que o senhor não passou o número do telefone público para a polícia, que poderia rastrear o local e prender o bandido? Essa história está muito mal contada. O senhor deve explicações à sociedade, porque, além de cidadão, que já tem a prerrogativa de ter que denunciar um suspeito, é um deputado, que se comprometeu a trabalhar pela sociedade. Então o senhor deve, sim, maiores explicações à sociedade, e, principalmente, à família da Ana Clara.
    O senhor disse que não tinha obrigação de fazer isso, que “estava tentando dormir”. Se tivesse desde a primeira ligação o senhor mesmo entrado em contato com a polícia, poderia ter voltado ao seu sono despreocupado, porque nitidamente estava mais preocupado com o seu sono do que com uma menina de 6 anos que foi assassinada, cujo autor estava diante do senhor, praticamente confessando o crime.
    Outra coisa: a cobrança por parte da sociedade não tem relação com política. Eu, que sou de SP, achei um absurdo como o senhor reagiu a essa situação. Imagino quem mora na cidade, o que deve sentir. O senhor precisa admitir que agiu de forma incorreta, no mínimo. Isso não é questão de política, mas de bom senso.

  2. Avatar Liedja disse:

    O senhor é experiente, desde o início já saberia que a história dele era falsa. Se não identificou desde o início, nos faz questionar sua experiência como policial. Por que o senhor mesmo não ligou para a olícia, ao perceber que a noiva dele não foi adequadamente atendida? Por que o senhor não passou o número do telefone público para a polícia, que poderia rastrear o local e prender o bandido? Essa história está muito mal contada. O senhor deve explicações à sociedade, porque, além de cidadão, que já tem a prerrogativa de ter que denunciar um suspeito, é um deputado, que se comprometeu a trabalhar pela sociedade. Então o senhor deve, sim, maiores explicações à sociedade, e, principalmente, à família da Ana Clara.
    O senhor disse que não tinha obrigação de fazer isso, que “estava tentando dormir”. Se tivesse desde a primeira ligação o senhor mesmo entrado em contato com a polícia, poderia ter voltado ao seu sono despreocupado, porque nitidamente estava mais preocupado com o seu sono do que com uma menina de 6 anos que foi assassinada, cujo autor estava diante do senhor, praticamente confessando o crime.
    Outra coisa: a cobrança por parte da sociedade não tem relação com política. Eu, que sou de SP, achei um absurdo como o senhor reagiu a essa situação. Imagino quem mora na cidade, o que deve sentir. O senhor precisa admitir que agiu de forma incorreta, no mínimo. Isso não é questão de política, mas de bom senso.
    O senhor só tentou ligar para seus conhecidos da polícia, para passar as fundamentais informações que tinha, 15 horas depois da primeira ligação da noiva dele. Um pouco tarde, não acha?
    http://www.majoraraujo.com.br/2017/02/major-araujo-fala-sobre-o-assassino-da.html?m=1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.