Presidente da Faet assume o cargo com foco na reeleição de Bolsonaro e no fortalecimento da bancada que defende o agronegócio

Pecuarista Paulo Carneiro, presidente da Faet e, agora, do Avante | Foto: Divulgação

Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins (Faet), o pecuarista Paulo Carneiro assumiu a presidência da Comissão Provisória do Avante tocantinense. No comando da legenda, ele trabalhará pela reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) e em prol da criação de uma frente do agronegócio. A meta de Paulo é formar uma bancada ruralista na Assembleia Legislativa do Tocantins e somar forças na Câmara Federal por meio da eleição de nomes que reforcem a bandeira do agro.

“O setor rural do Tocantins precisa conquistar o seu espaço no parlamento estadual e reforçar a presença na bancada federal do estado em Brasília. Quero mobilizar os produtores rurais e os presidentes dos sindicatos rurais para juntos engrossamos essa luta por mais representatividade do nosso setor, que não vem tendo a atenção que merece”, justifica. Apesar de achar que o agronegócio tem apoio aquém do ideal, ele alega que a sigla será base para reeleição de Bolsonaro porque ele é o presidente que mais tem feito pelo setor. Exatamente por isso, segundo o novo presidente do Avante, “as lideranças do agronegócio no Tocantins estão fechadas com Jair Bolsonaro.”

“Nenhum presidente tratou o setor rural da forma como Bolsonaro está tratando e, como queremos o melhor para o nosso estado e para o país, estamos juntos com todos que defendem a continuidade desse governo. Não podemos permitir que o Brasil dê um passo atrás na sua história”, argumenta. Para fazer para o bolsonarismo no Tocantins ele, inclusive, vai investir no estímulo a novas filiações no Avante. O foco estará em candidaturas de produtores rurais que podem representar o agronegócio no Tocantins e em Brasília. “O partido está aberto aos produtores, em defesa do agro e de Bolsonaro para presidente”, condiciona.