Novo líder, Oséias Varão diz que impeachment de Iris é coisa de “político que quer aparecer”

Vereador ainda desafiou propositores para debate e diz que pedido não passa de “teatro”

Tiãozinho Porto (Pros) e Oséias Varão (DC) | Foto: Arquivo

O vereador Oséias Varão (DC) classificou o possível pedido de impeachment do prefeito Iris Rezende (MDB) como “inconsequente” e coisa de “político que quer aparecer”. A declaração foi dada em entrevista coletiva na Câmara Municipal logo após o vereador ser anunciado como novo líder do prefeito na Casa.

“Eu credito isso a alguns políticos que de maneira inconsequente querem fazer teatro e barulho para aparecer. Eu desafio a qualquer um desses políticos que estão fazendo esse tipo de proposta a vir debater comigo. Isso é teatro, estão querendo aparecer nas costas do prefeito”, afirmou.

Ao Jornal Opção o ex-vereador e atual deputado estadual, Alysson Lima (PRB), confirmou que apresentará nesta quarta-feira, 8, às 9h30 na Câmara Municipal, o pedido de impeachment.

Impeachment

O anúnciou foi feito na semana passada quando Alysson Lima (PRB), afirmou que vai protocolar na Câmara Municipal um pedido para abertura de processo de impeachment do prefeito Iris Resende (MDB). Segundo o parlamentar, o gestor municipal deixou pessoas morrerem nos postos de saúde da cidade, ao optar por uma administração com austeridade fiscal radical.

“Os postos de saúde estão abandonados. Está faltando algodão, dipirona e as famílias precisam comprar até sondas com dinheiro próprio para parentes internados”, afirmou Alysson.

A vereadora Dra. Cristina também falou ao Jornal Opção que há fundamentações que podem dar base para a instauração do processo.
“Nós vemos uma série de descompromissos do prefeito com o que é de obrigação do Município. A saúde foi desconstruída em Goiânia, as nossas unidades básicas estão falidas, não estão conseguindo prestar um atendimento que elas têm, o prefeito está deixando de cumprir uma obrigação constitucional que compete a ele”, defende a parlamentar.

Para a vereadora Sabrina Garcêz (PTB) o Caso Vivver Sistemas e o descumprimento do Orçamento Impositivo são fatores que também podem levar ao impeachment. “Desde o ano passado o Município não cumpre com o que ficou determinado. A gestão vem criando obrigações, o que é uma clara irregularidade jurídica”, acrescenta.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.