Neymar vence ação e Justiça de São Paulo suspende venda de Playboy com suposto affair do jogador

A capa da edição polêmica da revista trazia Patrícia Jordane. A mulher afirma ter tido um relacionamento com futebolista na virada do ano de 2012 para 2013

Neymar Junior, atacante do FC Barcelona e da Seleção Brasileira de Futebol ganhou na Justiça uma ação que movia contra a revista masculina “Playboy”. A revista usava seu nome na edição deste mês. A 3ª Vara Cível de São Paulo determinou a suspensão da venda da publicação.

Com isso, a Editora Abril terá de retirar das bancas os exemplares da publicação “A Morena que Encantou Neymar”, nem poderá vincular nos meios de comunicação a campanha publicitária da capa da edição. Caso a decisão judicial não seja cumprida, a editora poderá ser multada no valor de R$ 10 mil por dia.

Neymar processou Playboy por associar seu nome com o de Patricia Jordane | Foto: Divulgação

Neymar processou a revista Playboy por associar seu nome com o de Patricia Jordane | Foto: Divulgação / Editora Abril

A capa da edição polêmica trazia Patrícia Jordane. A mulher afirma ter tido um relacionamento com futebolista na virada do ano de 2012 para 2013. Em entrevista para a imprensa, Patrícia afirmou que a atual namorada de Neymar, a atriz Buna Marquezine havia sido traída no começo do relacionamento. Segundo a morena, os dois tiveram um caso até o Carnaval de 2013, quando o jogador assumiu a relação com a atriz.

Em nota publicada em seu site, Neymar disse que a editora divulgou uma mentira sobre sua vida pessoal. Abaixo parte da nota:

A editora, além de divulgar uma mentira sobre a vida pessoal do Neymar Jr, utilizou indevidamente o seu nome, ou seja, sem a autorização da NR SPORTS, empresa dos pais do atleta e única detentora dos direitos de exploração da imagem, nome e seus atributos. Segundo o Poder Judiciário, a decisão deverá ser cumprida imediatamente.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.