Mudanças na merenda afetam qualidade da alimentação dos alunos da rede municipal

Prefeitura deixou de adquirir e distribuir alimentos nas escolas, em vez disso repassa recursos às unidades, mas gestores dizem que verba não é suficiente

Secretário Municipal de Educação, Marcelo Ferreira, e prefeito de Goiânia, Iris Rezende |
Foto: Reprodução

A Prefeitura de Goiânia vem, de forma gradativa, implantando mudanças na compra de alimentos destinados à merenda escolar. De início, a Secretaria Municipal de Educação (SME) era a responsável por adquirir e distribuir a maioria dos mantimentos para as unidades. Agora, são as próprias escolas que fazem as compras.

A ideia é defendida por muitos, como exemplo, a vereadora Priscilla Tejota (PSD), autora de lei aprovada na Câmara Municipal que tratava da descentralização da verba destinada a merenda escolar.

Mudanças na merenda afetam qualidade da alimentação dos alunos da rede municipal
Foto: Divulgação/Enviada ao Jornal Opção

“Esse projeto foi pensando num problema muito grave que Goiânia enfrenta há 10 anos que é o destino desse dinheiro. Licitar um volume de recurso dessa ordem é muito difícil e nós temos muitas denúncias nesse sentido”, disse na época da tramitação da matéria, em outubro do ano passado.

“Com o dinheiro direcionado para cada escola, o diretor vai poder comprar alimentos mais frescos, nos comércios do bairro, de forma que eles não precisem ficar estocados nas escolas que hoje não têm estrutura para essa armazenagem”, defendeu Priscilla.

Mudanças na merenda afetam qualidade da alimentação dos alunos da rede municipal
Foto: Divulgação/Enviada ao Jornal Opção

Recursos insuficientes

O problema na mudança da administração do recurso é que muitos gestores estão temerosos de que a verba enviada pela secretaria não será suficiente para garantir uma merenda de qualidade aos alunos.

A diretora de uma unidade que não quis se identificar disse ao Jornal Opção que agora a prefeitura fornece apenas a carne bovina. “Compramos tudo: arroz, alho, carne suína, frutas, verduras. O valor que eles nos repassaram não é suficiente para garantir a compra de todos esses itens”, denuncia.

Resposta

A reportagem procurou a Secretaria Municipal de Educação para maiores informações a respeito das mudanças relativas à merenda escolar. Por meio de nota, a SME limitou a dizer que “as verbas do segundo Programa de Autonomia Financeira da Escola (Pafie) já está pronto para pagamento às instituições. A SME frisa que, até a finalização do processo, o valor destinado à alimentação é diretamente repassado às instituições, sem prejuízo ao atendimento das crianças matriculadas”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.